Iniciámos, com o relato da multiplicação dos pães e dos peixes,

um percurso que nos levará a aprofundar o conhecimento do mistério de Jesus. Várias pistas nos foram já conduzindo para o significado do milagre: o número sete (a totalidade do que se dá); o número doze (símbolo dos Apóstolos e da Igreja); as acções de Jesus (tomou, deu graças e distribuiu os alimentos, ou seja, os mesmos gestos da Última Ceia e da Eucaristia); e que Jesus tenha feito a distribuição sozinho (é Ele que se dá).
O ensinamento de Jesus, o seu discurso sobre o Pão da Vida, eleva-nos agora a um outro nível de compreensão. O diálogo entre Jesus e a multidão faz que se passe dos pães multiplicados ao maná dado a Israel no deserto e, deste, ao verdadeiro pão descido do Céu, a Jesus: “Eu sou o pão da vida”.
A afirmação de Jesus “O pão de Deus é o que desce do Céu para dar a vida ao mundo” foi assumida pela Igreja no credo, com palavras semelhantes: “por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos Céus”. O Filho de Deus desceu do Céu para dar a vida ao mundo, ou, o que é o mesmo, para lhe dar a salvação.
O discurso de Jesus que hoje começamos a escutar vem explicar que o milagre da multiplicação era apenas um sinal do seu poder de dar a vida através do pão do seu ensinamento. O “alimento que dura até à vida eterna” é a Palavra de Deus, a revelação que Jesus faz sobre Deus e a sobre a nossa vocação. O Pão da vida é o evangelho, é toda a palavra de Jesus e, por isso, “a obra de Deus consiste em acreditar n’Aquele que Ele enviou”. Jesus coloca o acento sobre a fé como a resposta necessária para acolher a sua Palavra e condição para que ela dê vida em nós.
A obra de Deus é levar os homens à fé, é levar a que os homens acreditem no seu Filho e se deixem guiar pela sua Palavra. Esta é a obra mais importante de Deus e, ao mesmo tempo, a condição para que tenhamos vida e sejamos salvos. É muito significativa, a este propósito, uma passagem dos Actos dos Apóstolos em que um homem pergunta a Paulo e a Silas: “o que devo fazer para ser salvo? Eles responderam: acredita no Senhor Jesus e serás salvo”.
O próprio Moisés, por meio do qual Deus alimentou o seu povo com o maná, no deserto, esclareceu com palavras célebres: “nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. A Palavra que vem de Deus é, acima de tudo, o seu próprio Filho. É d’Ele, da Palavra que Ele é e de tudo o que Ele ensina que nós vivemos.
“Eu sou o pão da vida: quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede”. Ter fé é acreditar e saber que Jesus é o único capaz de saciar a nossa fome e sede de vida, de felicidade, de amor, de realização. Quem conhece Jesus, quem se alimenta da sua Palavra, sabe que mais nada lhe falta.