Sociedade

O Centro de Formação Assistência e Desenvolvimento (CFAD) é uma instituição particular de solidariedade social da iniciativa da sociedade civil, tendo sido constituído por escritura pública a 14 de Dezembro de 1988, na cidade da Guarda. Foi reconhecido pela Direcção-Geral da Segurança Social como Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) e pessoa colectiva de utilidade pública, a 27 de Maio de 1991.
O objectivo e fim principal é a formação integral do ser humano, que abrange tudo quanto se possa realizar para o crescimento harmonioso do homem e da mulher, integrados na sociedade e na família. “Daí terem surgido desde o seu início actividades diversificadas para irem ao encontro dos problemas mais prementes da sociedade”, justifica a direcção presidida por Virgílio Mendes Ardérius. Presentemente o CFAD, em relação à infância, dispõe de um CATL (Centro de Actividades de Tempos Livres), Ludoteca e Terapias, e é também a Entidade Gestora do PIEF da Guarda. Relativamente aos adultos promove formação profissional, incentivando a inserção social. Tem também um Núcleo de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica, contando com o apoio de outras entidades a nível distrital.
Em relação aos idosos, presta Apoio ao Domicílio e dispõe de um Centro de Dia e Lar de Idosos. “Há muitos anos que o CFAD era solicitado para abrir um Lar para idosos uma vez que alguns a quem era prestado o Apoio no Domicílio ou Centro de Dia iam perdendo as forças e precisavam de um apoio permanente”, lembra a direcção. Esse desejo foi finalmente concretizado a 4 de Setembro de 2009, com a cedência de dois pisos do prédio da Fundação Frei Pedro contíguo às instalações do Centro de Formação Assistência Desenvolvimento, que tornou possível a criação de mais uma oferta social para 30 idosos. O Lar Santa Clara dispõe de uma equipa técnica constituída pelos seguintes elementos: Técnica Superior de Serviços Social, Educadora Social, Médica, Equipa de Enfermagem, Fisioterapeuta e Terapeuta da Fala.
“A instituição procura que o idoso permaneça activo o máximo de tempo possível. Assim sendo, semanalmente são realizadas classes de movimento, actividades lúdicas desde o chá dançante, visionamento de filmes na Biblioteca Municipal, ateliers de trabalhos manuais, entre outras”, adiantou ao Jornal A Guarda a Técnica de Serviço Social do Lar Santa Clara, Regina Falcão. E acrescentou: “Sabemos que com todas as evoluções sociais patentes na actualidade, nem sempre é possível para os mais idosos usufruírem de um nível de bem-estar, compatível com as suas necessidades e expectativas. Indo ao encontro da evolução social/demográfica, o Lar Santa Clara rege-se pelo paradigma seguinte: prestar um serviço de qualidade”. Para prestar esse serviço de qualidade, segundo a responsável, a instituição baseia-se nos seguintes princípios: promover qualidade de vida; proporcionar serviços permanentes e adequados à problemática biopsicossocial das pessoas idosas; contribuir para a estabilidade ou retardamento do processo de envelhecimento; privilegiar a interacção com a família e/ou amigos e com a comunidade, no sentido de optimizar os níveis de actividade e de participação social; promover estratégias de reforço da auto-estima, de valorização, de autonomia pessoal e social assegurando condições de estabilidade necessárias para o reforço da sua capacidade de autonomia na organização das actividades da vida diária.
Regina Falcão adianta que os interessados ou as suas famílias poderão visitar, a partir do próximo mês de Outubro, o Lar Santa Clara, incluindo o novo piso com mais 20 camas, perfazendo assim o total de 50 camas. “No caso de haver vagas, as famílias poderão deixar no Lar algum dos seus elementos temporariamente durante a sua ausência. Poderá ser mais um serviço útil à comunidade”, concluiu a responsável.

Associativismo jovem

Comércio Tradicional

Artesã Maria José Ferreira, 79 anos

Castelo Branco

Formação recebida no IPG evidenciada por aluno

Duas docentes e cinco estudantes do curso de Gestão do Instituto Politécnico da Guarda (IPG)