Iniciativa acontece a 24 de Outubro

No próximo dia 24 de Outubro celebra-se o Dia Mundial de Luta contra a Poliomielite.O Rotary Club da Guarda, com sede no Hotel Vanguarda, na Guarda, aceita donativos para esta causa e convida os interessados nesta causa a visitar o site www. endpolio.org para saber mais sobre este ambicioso projecto e a forma alternativa como podem fazer a doação.No ano de 1985 foram identificados no mundo mais de 250 mil novos casos de pessoas contaminadas com o vírus da Poliomielite (Paralisia Infantil).Em 2018 essa variável passou a ter um valor inferior a 30 novos casos, circunscritos a uma região em conflito permanente e guerra (Paquistão e Afeganistão), onde a vacinação é um procedimento muito difícil de executar.Em 1985 Rotary chamou a si o objectivo de ajudar, sobretudo com dinheiro e trabalho voluntário, a erradicar do Mundo esta doença tão debilitante e criou o Programa Polio Plus. As campanhas envolvem cerca de 2 milhões de voluntários que ajudam a vacinar 220 milhões de crianças contra a pólio várias vezes ao ano só em Africa.Mais de 9 bilhões de doses de vacina oral antipólio foram distribuídas, prevenindo um número estimado de 1,8 milhões de casos de paralisia infantil.Desde então, os inúmeros associados do Movimento Rotário de todo o mundo têm angariado (e ajudado a angariar) fundos na comunidade, a reverter para a causa.Os associados do Rotary contribuíram com cerca de 890 000 000 milhões de dólares americanos, para esta causa.Junto com a Organização Mundial de Saúde e outros parceiros (que constituem a Iniciativa Global de Erradicação da Pólio ( GPEI) — OMS, CDC, Unicef, Fundação Bill e Melinda Gates, e GAVI (Aliança Global para Vacinas e Imunização)), o movimento Rotário já ajudou  a imunizar mais de 2 500 000 000 de Crianças em 122 países.No dia 25 de Agosto, foi anunciado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que a transmissão do vírus selvagem da pólio foi oficialmente interrompida em todos os 47 países de África. Este é um passo histórico e vital para a erradicação global da pólio.Os últimos casos de pólio causados pelo vírus selvagem na região africana foram registrados no estado de Borno, no norte da Nigéria, em Agosto de 2016. Passaram 4 anos sem ocorrência de casos.Agora, cinco das seis regiões da OMS, representando mais de 90% da população mundial, estão livres da doença.A extensa estrutura que o movimento rotário ajudou a construir para enfrentar a paralisia infantil, tem sido usada para conter a covid-19, tal como já tinha acontecido em 2014, com a crise de ébola, e também no combate à febre amarela e gripe aviária.Contudo, a pólio causada pelo vírus selvagem ainda é endémica no Afeganistão e Paquistão. O desafio da GPEI e por consequência do movimento Rotário mundial, é agora é erradicar o vírus selvagem nestes dois países onde a doença nunca foi interrompida.Além disso, a imunização de rotina na África irá ser reforçada para evitar a volta do vírus na forma selvagem (da poliomielite) e proteger as crianças contra o vírus derivado da vacina circulante, que é raro, mas continua infectando pessoas em algumas partes da região africana.Mesmo durante a pandemia de covid-19, é necessário manter as crianças vacinadas contra a poliomielite e, ao mesmo tempo, proteger os profissionais de saúde contra o novo coronavírus para que não se tornem vectores da covid-19.Especialistas em saúde global afirmam que a captação de recursos e a defesa sustentada da causa são cruciais, não só para proteger os avanços obtidos em África, mas também para atingir o objectivo final de vivermos em um mundo sem pólio.