Entrevista: Ana Maria Jorge – Presidente da direcção do Grupo Coral Pedras Vivas


Ana Maria Jorge é a presidente da direcção do Grupo Coral Pedras Vivas desde Maio de 2005. É natural de Pínzio e vive na Guarda há muitos anos. Nos tempos livres gosta de cantar  e de viajar. 
A GUARDA: O Grupo Coral Pedras Vivas é uma referência no mundo associativo do concelho da Guarda. Quando e com que finalidade nasceu este Grupo? Ana Jorge: Este grupo constituiu-se como uma associação por escritura pública em 1986. Surgiu por iniciativa do seu primeiro maestro, Dr. Fausto Pimentel (que pouco tempo depois teve que se ausentar da cidade da Guarda) e de um grupo de amigos que quiseram pôr os seus talentos a render, fazer com que os outros os descobrissem, também através do Canto e, principalmente servir a comunidade, colocando-se à sua disposição em celebrações litúrgicas e noutras cerimónias solenes. O lema do Grupo é “Cantar com Alma e com Arte”.
A GUARDA: Quem é que pode fazer parte do Grupo Coral Pedras Vidas?Ana Jorge: A este grupo podem pertencer pessoas das diferentes idades e sexo desde que tenham gosto pelo canto e tenham disponibilidade para aprender em grupo, comparecendo nos ensaios semanais que se realizam às quintas-feiras, na sua sede, no Paço da Cultura. Estes ensaios permitem a preparação das peças seleccionadas pelo maestro Vitor Casanova (que assume a direcção artística do grupo há mais de 30 anos), de acordo com um reportório próprio do grupo, sendo muitas delas compostas pelo nosso maestro. 
A GUARDA: Quais as principais actividades que o Coral Pedras Vidas organiza ao longo do ano?
Ana Jorge: O grupo Coral Pedras Vivas participa na solenização de celebrações litúrgicas levadas a efeito na igreja da Misericórdia da Guarda, na Sé Catedral da Guarda e noutras igrejas da diocese. Participa, regularmente em eventos culturais organizados pelo Município da Guarda. As actividades são realizadas no âmbito dos seus Estatutos e partem da sua própria iniciativa ou como resposta a pedidos de autarquias, associações e de outros grupos musicais. Tem participado regularmente em eventos musicais em Portugal e em Espanha. 
A GUARDA: Quais as principais dificuldades com que se debate o Grupo?
Ana Jorge: Apesar do esforço da maioria dos coralistas que dedicadamente comparecem aos ensaios e actividades em que o grupo está envolvido, gostaríamos de ter mais elementos com gosto e empenho. Até porque, temos coralistas que mudam de residência, outros adoecem, outros mudam os seus contextos familiares e profissionais, o que por vezes pode fragilizar o nosso desempenho. De todo o modo, estamos sempre receptivos a receber e integrar mais pessoas com gosto pelo canto e pelo estilo musical do grupo.Para além das actividades que temos organizado e/ou colaborado, gostaríamos de desenvolver actividades com orquestra pois, temos peças ensaiadas e para ensaiar que não podemos apresentar pois não temos recursos financeiros que o permitam. Com boa vontade e espírito altruísta já conseguimos desenvolver algumas, nesse contexto, mas é difícil programar outras.
A GUARDA: De que maneira é que esta Associação tem contribuído para a promoção da Guarda?
Ana Jorge: Por todos os lugares onde passamos e actuamos é a Guarda que nos identifica. Por outro lado, temos um registo em CD e cantamos peças específicas que fazem parte do acervo cultural da nossa cidade.
A GUARDA: O Grupo Coral Pedras Vivas já foi contactado pela Câmara, no âmbito da candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027?
Ana Jorge: Sim. Integrámos uma reunião, em Junho de 2018, desenvolvida no âmbito deste projecto, em que nos disponibilizámos a colaborar em actividades que estejam dentro do estilo musical do grupo (canto polifónico, sacro e profano)..A GUARDA: Como avalia a política cultural da Câmara Municipal da Guarda em relação ao trabalho que é desenvolvido pelas associações culturais do concelho?
Ana Jorge: A Câmara Municipal da Guarda tem uma política de atribuição de subsídios de acordo com regulamento específico, o que sugere a igualdade de oportunidades para todas as associações. 
A GUARDA: Considera que a Guarda tem uma boa programação cultural ao longo do ano?
Ana Jorge: A Guarda tem muitas e diversas actividades culturais dando resposta aos interesses dos seus habitantes e promovendo também a vinda de muitas pessoas à cidade.