Castanheiro de Guilhafonso ficou em 7º lugar e Tília do Solar dos Condes de Arnoso em 10º

O Plátano do Rossio arrecadou o maior número de votos no concurso nacional Árvore Europeia do Ano e vai representar Portugal no concurso europeu Tree of the Year 2021 no próximo mês de Fevereiro. A Oliveira do Mouchão e a Schotia do Jardim Botânico da Ajuda ficaram em 2º e 3º lugar, respectivamente. O Castanheiro de Guilhafonso, na freguesia de Pera do Moço, concelho da Guarda, com 950 votos, ficou em 7º lugar e a Tília do Solar dos Condes de Arnoso, na freguesia de Sameice, concelho de Seia, com 881 votos, ficou em 10º lugar do concurso. Nas votações foram contabilizados 13.750 votos, tendo a árvore vencedora arrecadado 2401 votos. O Plátano do Rossio, o Bem-Amado, plantado em 1838, é o maior da Península Ibérica. De porte majestoso, com 7 metros de perímetro de tronco, 37 metros de diâmetro de copa, em caramanchão, é o ex-libris da cidade de Portalegre. A nomeação para o concurso partiu do Município de Portalegre. Quanto ao Castanheiro de Guilhafonso, nomeada por Ana Raquel Fernandes Pires Lopes, que o apresentou como “a nossa árvore Avatar”, é o maior castanheiro da Europa, sendo precisos 9 adultos para o abraçar. Constitui a memória viva e identitária de Guilhafonso sobrevivendo estoicamente ao passar do tempo.A Tília do Solar dos Condes de Arnoso, nomeada pela Câmara Municipal de Seia, está situada no logradouro do Solar dos Condes de Arnoso, do século XVII, em Sameice, no concelho de Seia.O concurso da Árvore Europeia do Ano surgiu em 2011 e foi inspirado no popular concurso da República Checa, Árvore do Ano, organizado pela Czech Environmental Partnership Foundation. Desde então, o número de países envolvidos no concurso cresceu de 5 para 16. O concurso europeu é uma final constituída pelos vencedores dos diferentes concursos nacionais.O propósito da Árvore Europeia do Ano é destacar a importância das árvores antigas na herança cultural e natural, que merece toda atenção e protecção. Ao contrário de outros concursos, a Árvore Europeia do Ano não se foca apenas na beleza, no tamanho ou na idade da árvore, mas sim na sua história e relações com as pessoas. Todos os anos a votação para a Árvore Europeia do Ano é organizada pela Environmental Partnership Association (EPA).A UNAC – União da Floresta Mediterrânica é o organizador do concurso nacional, que habilita a árvore portuguesa vencedora a concorrer à votação para a Árvore Europeia do Ano.