Solidariedade Social Fundação D. Laura dos Santos tem certificação da qualidade desde 2003 A Fundação D. Laura dos Santos, com sede em Moimenta da Serra, no concelho de Gouveia, inaugurou, no dia 31 de Janeiro de 1982, o seu Lar de Idosos, que começou a funcionar com 10 idosos. “Foi no excelente edifício construído no ano de 1926 e terreno anexo, junto à estrada, Moimenta - Vinhó, comprados à Família Brojo Correia, que se instalou a Sede e Lar dos Idosos da Fundação D. Laura dos Santos. Feitas as convenientes adaptações comportava 30 idosos em regime de internamento e 20 no Centro de Dia com o serviço de refeições e tempos livres”, lembrou ao Jornal A Guarda Rui Reis, presidente do Conselho de Administração da Fundação D. Laura dos Santos. E acrescenta: “Finalmente a obra programada e ansiada por Francisco dos Santos surgiu, estendeu-se, criou renome e importância, não só em Moimenta, mas em toda a região, nomeadamente na assistência à Terceira Idade”. “Com o desenvolvimento desta actividade a direcção da Fundação D. Laura dos Santos verificou a necessidade de uma assistência diferente nomeadamente a nível da prestação de cuidados a idosos com um maior grau de dependência física e cujo estado de saúde implicava que estes se encontrassem já acamados”, refere o dirigente. Assim, em 24 de Setembro de 1989 foi inaugurado, em anexo ao edifício do Lar de Idosos, a Unidade de Acamados com capacidade para 20 idosos. A sua abertura pública realizou-se em 1 de Janeiro de 1990 com a admissão de vários idosos. Com o aumento dos idosos e com a capacidade máxima atingida foi construída uma nova sala de convívio que foi inaugurada no dia 31 de Janeiro de 1999. “Actualmente, o Lar continua repleto e são inúmeros os pedidos, impossíveis de satisfazer, o que prova a vitalidade da instituição e a qualidade dos serviços que aqui são prestados”, assinala Rui Reis. Segundo o responsável, o Lar de Idosos da Fundação D. Laura dos Santos constitui “uma resposta social desenvolvida num regime de alojamento colectivo, e de utilização temporária ou permanente, para idosos em situação de maior risco de perda de independência e/ou de autonomia”. “A instituição sabe que assume uma grande responsabilidade em relação aos idosos admitidos e aos seus familiares, pelo que desenvolve os esforços necessários para proporcionar serviços adequados à satisfação das suas necessidades e presta o apoio necessário às suas famílias no sentido de preservar e fortalecer os laços familiares”, sublinha o dirigente. A Fundação D. Laura dos Santos tem as valências de Centro de Dia (a funcionar nas instalações do Lar de Idosos, prestando apoio aos idosos de Moimenta da Serra e da freguesia vizinha de Mangualde da Serra); a Unidade de Apoio à Infância (um serviço que permite prestar cuidados às crianças garantindo a confiança depositada pelos pais na instituição, tendo 137 utentes diários); Unidade Desportiva (ligada a esta valência a instituição possui uma equipa no nacional de futebol feminino e várias equipas de futebol a militar nos campeonatos distritais); Museu - Biblioteca (possibilita ao público o contacto com a cultura e beleza de obras de arte); e o projecto MÃOS ABERTAS -Comunidade de Inserção e Centro de Acolhimento Temporário (Centro de Acolhimento Temporário de crianças consideradas de risco e em diferentes graus de desenvolvimento e Comunidade de Inserção para mulheres que se encontrem numa situação em que não podem garantir as suas condições básicas de sobrevivência. As duas valências possuem actualmente 36 utentes). A instituição tem como principal preocupação o bem-estar dos seus utentes garantindo, para este fim, a melhoria contínua dos serviços que aqui são prestados, daí que, na prossecução deste objectivo, obteve a primeira Certificação da Qualidade em 9 de Maio de 2003, sendo a primeira instituição de cariz social do País a ser certificada pela Qualidade. Quanto a projectos futuros, o Conselho de Administração pensa “poder criar uma resposta inovadora na área das Demências a curto prazo, faltando para isso formas de apoio que consigam assegurar uma eficaz e correta gestão da resposta social”.