“O Centro Social Cultural e Recreativo do Lamegal apoia 50 utentes e emprega 21 pessoas, abrangendo as valências sociais agrícola e turística”


Ricardo Capelo, Presidente da Direcção do Centro Social, Cultural, Recreativo do Lamegal, é natural do Lamegal, concelho de Pinhel. Frequentou a Escola Primária do Lamegal, os Seminários Diocesanos da Guarda e a Universidade de Coimbra/Faculdade de Letras/História.Nos tempos livres gosta passear, ler, praticar desporto (hipismo), ajudar as pessoas de uma forma voluntária.
A GUARDA: O Centro Social, Cultural, Recreativo do Lamegal celebra 40 anos da criação. Como começou todo este caminho?
Ricardo Capelo: Este caminho começou em 1981, mais propriamente em 8 de Junho de 1981, quando um conjunto de Lamegalenses, mulheres e homens decidiram que era um imperativo cívico e social criar uma instituição que provesse o apoio social aos mais idosos, o desportivo e cultural aos mais jovens e a toda a demais população.
A GUARDA: Ao longo de 40 anos a instituição foi crescendo e ganhando novas valências?
Ricardo Capelo: O Centro Social Cultural e Recreativo do Lamegal foi constituído como associação em 1981 e, em 1982, reuniu com a Junta de Freguesia do Lamegal de então que, vendo o objecto estatutário a que se propunha preconizar e concordando com a necessidade de apoiar socialmente as pessoas mais vulneráveis da freguesia e freguesias limítrofes, decidiu doar-lhe um edifício antigo para que pudesse construir a sua sede, tendo esta obra sido o primeiro grande desiderato da gerência de então.Faseadamente, começou-se a construção do espaço lúdico, composto por bar, salão de festas e convívios, que em 1994 foi colocado ao serviço dos associados e de toda a comunidade em geral. Uns anos antes tinha sido construído e inaugurado o campo de futebol de 11.Em 1995, um marco muito importante em termos do desenvolvimento da vertente social de apoio aos idosos, foi a inauguração do Centro de Dia, com as valências de Centro deDia e SAD. Em 1997, para suprir a necessidade que os jovens do Lamegal tinham em termos da prática desportiva, inaugurou-se o Polidesportivo e balneários e o CSCRLamegal investiu fortemente no futebol, primeiramente no futebol de 11 masculino, formação juniores e depois no futsal, nomeadamente na formação e nos seniores masculinos. Mais tarde investiu na equipa de futsal feminina. Em 2005 o CSCRLamegal inaugurou as suas piscinas de aprendizagem e o seu parque de merendas, com o intuito de criar condições de bem-estar e permanência dos seus associados e comunidade em geral e captar mais pessoas a visitarem os seus familiares e a passarem as férias no Lamegal.Em 2010 inaugurou-se a casa multifunções/Confraria, com uma cozinha de apoio, garagens para as carrinhas do Centro de Dia/SAD e um amplo salão onde são dinamizados convívios/actividades na área ambiental, gastronómica, cultural e outras.Em 2013 foi inaugurado o Lar de Idosos da Senhora da Menina, passando a ter a valência de ERPI, com capacidade para 30 utentes. Em 2014 foi inaugurado o Museu Etnográfico Professora Maria José Ferreira Capelo, situado no 1.º andar da sede. Em 2018 o Centro de Convívio Prof. Purificação dos Anjos Valverde Agostinho (situado no rés-do-chão da sede) e o Complexo Desportivo Prof. Manuel Francisco Capelo que engloba polidesportivo e piscinas de aprendizagem. Em 2019 construiu-se o Centro de Inclusão Intergeracional (sala de artes, cozinha social, sala ,multiterapias/snoezelen).No decurso de 2017 tiveram início os projetos agrícolas/ambientais/ecológicos de reflorestação/plantação “Lamegalgreen” e “Grão a Grão Enche o Papo o Perdigão” (sementeiras de trigo e milho) para alimentar os animais selvagens, preservar a fauna selvagem, combater as alterações climáticas, os incêndios florestais, preservar os solos, as linhas de água, fixar CO2 e contribuir para diminuir a pegada ecológica.Em 2021 arrancámos com a requalificação de vários edifícios para Turismo Rural Inclusivo.A GUARDA: Quantas pessoas estão evolvidas nos serviços que são prestados pelo Centro Social, Cultural, Recreativo do Lamegal
Ricardo Capelo: Neste Momento o CSCRLamegal apoia 50 utentes e emprega 21 pessoas, abrangendo as valências sociais (ERPI/Centro de Dia/SAD), agrícola e turística.E depois tem um conjunto de pessoas de várias áreas profissionais e idades que altruisticamente e de forma gratuita estão ao serviço da Associação, ou como sócios ou dirigentes.
A GUARDA: Qual a envolvência da instituição com a comunidade?
Ricardo Capelo: A envolvência é Total. O CSCRLAMEGAL existe para ajudar as pessoas. E todos estes espaços e acções que referimos anteriormente foram construídos pelos sócios e estão ao serviço de toda a comunidade.
A GUARDA: O Centro Social, Cultural, Recreativo do Lamegal tem uma forte componente ambiental. O que é que levou a direcção a avançar para esta componente?
Ricardo Capelo: O termos genuínas preocupações com as nefastas alterações climáticas que nos atingem a todos e o querermos dar o nosso contributo efectivo com acções concretas e com gente comum, das IPSS, da sociedade civil, instituições e autarquias.Foi assim que arrancámos com o nosso projecto de Voluntariado do Ser para o SER Inclusão no Coração -Inclusão Social que tem vindo a dinamizar muitas acções de reflorestação/plantação de áreas que foram dizimadas pelos grandes incêndios que ciclicamente nos visitam.Desde 2017 até à actualidade já plantámos mais de 40 hectares (nas várias edições doLamegalgreen, sempre com a colaboração de muitas associações amigas) e, através do projecto “Grão a Grão Enche o Papo o Perdigão”, também com voluntários e associações amigas, fazemos sementeiras de trigo e de milho, duas vezes ao ano, para alimentar os animais selvagens, contribuindo para a preservação da biodiversidade da avifauna e fauna em geral.E, encontrando-se a nossa instituição sediada numa freguesia rural, decidimos apostar na diversificação da nossa actividade económica, desenvolvendo a actividade agrícola(produção e transformação de amêndoa e marmelo e desenvolvendo o agroturismo) e recuperando várias casas antigas para Turismo Rural, contribuindo para combater o despovoamento destas terras do interior, fixando mais pessoas, criando mais postos de trabalho e riqueza.
A GUARDA: O Centro já arrancou com as obras de requalificação de casas antigas para Turismo Rural. Como é que apareceu este projecto e quantas casas envolve?
Ricardo Capelo: Sim. Estamos neste preciso momento a desenvolver o projecto de requalificação de várias casas antigas que o CSCLamegal adquiriu no Lamegal paraTurismo Rural. Fizemos uma candidatura ao PDR2020 para diversificar a actividade económica com aposta no Turismo que visa complementar a actividade agrícola da fileira de produção de amêndoa e marmelos. O Lamegal é uma freguesia com uma história particularmente rica, foi vila e sede de concelho até 1836, dispõe de gente hospitaleira, tradições arcaicas, paisagens deslumbrantes, produtos endógenos de excelência, infraestruturas de altíssima qualidade, faltando neste momento alojamento para as pessoas que nos visitam poderem descansar e retemperar as suas forças e conhecerem a identidade e a genuinidade das nossas gentes e produtos.
A GUARDA: Outros projectos para a futuro?
Ricardo Capelo: Pé ante pé…(risos) Temos muitos Sonhos. Mas somos pragmáticos.Estamos a iniciar um novo mandato à frente do CSCRLamegal. Temos por missão levar a bom porto, os projectos referidos anteriormente: como o turístico e agrícola. Fizemos uma candidatura ao PARES 3, para ampliação do Lar de Idosos. Temos muitas candidaturas a correr. Vamos aguardar. O projecto principal vai ser sempre o continuar em missão ao serviço dos que mais precisam.