“Espaços como o TMG, o Museu da Guarda ou o centro histórico da nossa cidade poderiam ser utilizados para se divulgar e mostrar o nosso concelho através da fotografia”Júlio Manuel Antunes Pissarra, autor da exposição “Nobre Guarda”, é natural de Vila Mendo.

É licenciado em Gestão e trabalha na parte administrativa do laboratório de patologia clinica do Hospital da Guarda.Gosta de fotografar, de bons momentos com os amigos e também de cozinhar.A GUARDA: Quem é Júlio Manuel Antunes Pissarra e como apareceu o seu gosto pela fotografia?
 Júlio Pissarra: Sou natural de Vila Mendo/Vila Fernando/Guarda, cidade onde resido embora sempre que posso, principalmente ao fim de semana “fujo” para a minha amada Vila Mendo.A escola primária foi repartida pelas escolas das Vendas da Vela, João Antão, Marmeleiro e Adão. Depois do ciclo preparatório realizei o ensino secundário na Escola Secundaria Afonso de Albuquerque. Licenciei-me em gestão na Universidade Fernando Pessoa (Porto). Actualmente, trabalho na parte administrativa do laboratório de patologia clinica do Hospital da Guarda. Para além da fotografia, os meus passatempos preferidos são tertuliar e confraternizar com amigos e cozinhar.Desde criança que despertou em mim o gosto pela fotografia, pois em casa dos meus pais ou familiares adorava ver e rever álbuns de fotografias. Com o avançar da idade esse “vicio” foi-se acentuando e hoje é um dos meus hobbies preferidos.A máquina fotográfica acompanha-me praticamente a diário e foi assim que fui aperfeiçoando a técnica de fotografar já que nunca frequentei nenhum curso, formação ou workshop de fotografia.
A GUARDA: Quais as temáticas que mais o seduzem quando faz fotografia?
Júlio Pissarra: Gosto essencialmente de registar paisagens urbanas ou rurais e dou especial enfase ao nascer e por do sol que é quando a luz tem, fotogenicamente falando, mais encanto. Também gostaria de fotografar pessoas mas devido a protecção da imagem a que as pessoas tem direito, essa vertente fica de lado, até porque expor fotos de pessoas exige uma autorização o que dificulta a exposição das mesmas.A GUARDA: O que é possível ver na exposição “Nobre Guarda”?
Júlio Pissarra: Os visitantes da exposição “Nobre Guarda” poderão visualizar um conjunto de fotografias que retracta um pouco o concelho da Guarda.Estas imagens mais não são do que um olhar diferente de alguma da realidade que nos rodeia e que não poucas vezes nos passa “ao lado”.
A GUARDA: Considera que o concelho da Guarda está bem retractado em fotografia ou ainda há muito para mostrar?
 Júlio Pissarra: Admito que através da lente de fotógrafos amadores o nosso concelho esteja bem retratado, o que falta é existirem oportunidades de dar a conhecer os trabalhos que são produzidos. Espaços como o TMG, o Museu da Guarda ou o centro histórico da nossa cidade poderiam ser utilizados para se divulgar e mostrar o nosso concelho através da fotografia. Porque não, durante o verão, o nosso município, através da vereação da cultura não proporcionar aos “viciados” na fotografia um ou mais fim de semana em que as fotos fossem expostas nas ruas do nosso centro histórico e Praça velha? Dinamizar-se-ia esta nobre zona da cidade e ao mesmo tempo seria permitido aos amadores da fotografia mostrarem cantos, recantos e cenários do nosso concelho que o cidadão egitaniense desconhece.
A GUARDA: A escolha do local em que estão expostas as fotografias tem algum significado especial para apresentar este trabalho?Júlio Pissarra: A escolha do restaurante “Nobre vinhos & tal” teve a ver com um desafio que, a tempos atrás, o seu proprietário (Pedro Nobre) me lançou. A única condição seria que as fotos a expor teriam que ter sido tiradas no concelho da Guarda.Aproveito para, publicamente, agradecer ao Pedro a cedência do seu espaço, à Foto Leitão pelo apoio que disponibilizou para a impressão das fotos e à Inês Ferreira a colaboração oferecida nomeadamente na concepção dos flyers e cartaz de promoção do evento.
A GUARDA: É a primeira vez que expõe publicamente as suas fotografias ou já o fez mais vezes?
Júlio Pissarra: É a segunda vez pois antes da pandemia que estamos a sofrer, fiz uma exposição no átrio da Consulta Externa do Hospital Sousa Martins que teve o alto patrocínio da Sra. Presidente do então concelho de administração da ULS Guarda Dr. Isabel Coelho e o estimável apoio da Drª Carla Pinheiro, directora do Serviço de Comunicação e Imagem da referida instituição.
A GUARDA: Nesta exposição qual a fotografia ou fotografias que gostaria de destacar?
Júlio Pissarra: No meio de centenas de fotografias não é fácil seleccionar 20, até porque a escolha carrega sempre uma enorme subjectividade, pois o que nos gostamos pode não ir ao encontro das expectativas de quem vê. No entanto, e até pelo feedback de quem já visitou a exposição, as fotos mais referenciadas são legendadas da seguinte forma: “Silhueta”, “ Folhas Carvalhais”, “Pastar”, “ Aguarela”, “Aurora” e “Kopo[s]”.
A GUARDA: Tem algum projecto futuro, em termos fotográficos?
Júlio Pissarra: A relativamente curto prazo realizarei mais uma amostra fotográfica em outro espaço de referência ao nível de restauração da nossa cidade (Restaurante Simple) e uma outra, com o apoio da Casa de Pessoal do Hospital Sousa Martins a realizar nesta instituição de saúde.A mais médio prazo, no TMG, lá para meados de Janeiro, se Deus quiser, aí exporei fotografias da minha autoria.