Transmissão de tarefas foi no dia 28 de Junho


Elsa Salzedas, professora do ensino secundário na Escola Secundária Afonso de Albuquerque, sucede a Carlos Figueiredo Ramos na Presidência do Rotary Club da Guarda. A transmissão de tarefas teve lugar no dia 28 de Junho, integrando uma reunião festiva de jantar que contou com a presença, para além dos membros do Rotary da Guarda, de Rotários de Trancoso, Covilhã, Mangualde e Viseu e de representantes de diversas instituições regionais.
A nova equipa directiva (2022-2023) é ainda constituída por Eduardo Vaz, António Quinaz, Manuel Morais, Manuel Baptista Rodrigues, mas a todos os associados são atribuídas tarefas específicas.
No discurso de tomada de posse, Elsa Salzedas apresentou o Plano de Atividades do Club, entretanto aprovado em Assembleia Geral, e apelou para a necessidade do máximo empenho dos associados, cônjuges, financiadores e apoiantes do movimento, para a sua concretização. Também não faltou uma referência ao bom espirito de colaboração com diversas instituições e Clubes Rotários da Beira Serra.
O emblema de Rotary tem forma de roda, simbolizando uma das principais características da organização – a rotação anual dos seus dirigentes, não se eternizando ninguém em quaisquer das suas múltiplas funções.
Rotary é um movimento de serviços à comunidade, organizando-se em Clubes de profissionais, com presença em todos os países do mundo, contando com perto de 35 000 clubes e 1 200 000 associados. Sendo completamente independente de sensibilidades politicas, opções religiosas, língua, raça ou género, constituem-se como uma das poucas ONG´s que, por mérito, tem assento permanente – como consultora - da ONU. Para além das preocupações com a comunidade local, constitui-se a nível global como uma das principais financiadoras da OMS (é por exemplo, a principal financiadora dos programas de vacinação a nível mundial para a irradicação da Poliomielite); é uma organização sempre presente quando há necessidade de se “mediarem conflitos” ou apoiar refugiados em qualquer parte do mundo; sempre ativa quando a carência é a proteção da saúde materno infantil, ou se pretendem corrigir baixos níveis de literacia, ou na descoberta e disponibilização de água potável.
A sua ação exerce-se sobretudo em ações de voluntária e financiamento de projetos em países vulneráveis nestas áreas.