Uma atracção que já galgou o Oceano Atlântico


A fama dos Passadiços do Mondego há muito que galgou as fronteiras do concelho da Guarda, da região e até do país. Quando o número de visitantes se aproxima dos 50 mil, é fácil encontrar pessoas de várias proveniências a caminhar entre a barragem do Caldeirão e Videmonte, aproveitando o percurso de 12 km, ao longo do Rio Mondego, criado pela Câmara da Guarda.
Foi através das redes sociais, mais propriamente do Instagram, que Carol Barbeira, natural da Argentina, a residir na Capital Buenos Aires, descobriu os Passadiços do Mondego. Mais curiosa ficou quando deu conta de que o equipamento estava situado no concelho da Guarda, onde ainda tem ligações familiares. Nas imagens a que teve acesso deu conta da beleza e da grandiosidade dos passadiços do Mondego inseridos num território reconhecido pela UNESCO como Geopark Estrela.
O facto de conhecer o circuito de Bariloche, que é uma referência e um verdadeiro orgulho da Argentina, despertou em Carol Barbeira uma enorme vontade de conhecer os Passadiços do Mondego. Concretizou o sonho na última semana, no dia 23 de Março, aproveitando um périplo que começou em Espanha e que terminou esta segunda-feira na Guarda, antes de regressar à Argentina.
Na companhia de dois familiares fez o percurso com cerca de 12 km, ao longo do Rio Mondego, desde o Caldeirão até Videmonte, com vistas para Vila Soeiro e Trinta. Ao longo do trajecto, de beleza ímpar, apreciou paisagens únicas realçando os troços dos passadiços e as pontes suspensas sobre o Rio Mondego.
Filha de pais argentinos (o avô paterno era português, natural do Marmeleiro, concelho da Guarda), Carol Barbeira já esteve em Portugal em diversas ocasiões mas, desta vez, veio também com o propósito de conhecer os Passadiços do Mondego que descobriu graças a um grupo de amigos argentinos.
Apesar do cansaço, na chegada a Videmonte, considerou o percurso fantástico e cheio “de uma beleza natural incrível”. “Vou recomendar os Passadiços do Mondego aos meus amigos que costumam viajar para a Europa”, referiu sentada à mesa do restaurante ‘Afonso’s’. E acrescentou: “Vou recomendar que venham à Guarda, que façam os Passadiços com a reserva da entrada pela internet, que se divirtam e desfrutem da cidade”.
Carol Barbeira ficou deslumbrada com os Passadiços do Mondego, “um lugar maravilhoso que merece ser visitado e divulgado pois tem lindas paisagens”. Considerou que o equipamento pode ser um grande incentivo para o turismo na região, bem como para dar a conhecer a Guarda, “uma cidade muito linda”, onde “a gastronomia é muito boa”.
Ao longo de 12 Km nas margens do rio Mondego e os seus afluentes, o percurso dos Passadiços do Mondego aproveita 5Km de caminhos já existentes e integra uma zona de 7km de travessias, passadiços e pontes suspensas com paisagens deslumbrantes e onde abundam as veredas, açudes, cascatas, levadas e moinhos. Os Passadiços do Mondego estão integrados no Parque Natural da Serra da Estrela e no Estrela Geopark Mundial da UNESCO.