O Centro Social e Paroquial de Maçainhas, no concelho da Guarda, é uma instituição particular de solidariedade social, criada por iniciativa da Fábrica da Igreja,

que desenvolve actividades de apoio social à população idosa e carenciada, desde 1993, abrangendo as Freguesias de Maçainhas (Chãos, Prado, Gulifar, Cubo), Misarela, Sé e S. Vicente e outras Freguesias próximas que solicitem os seus serviços. Tem, neste momento, um total de 35 utentes, nas valências de Centro de Dia e de Serviço de Apoio Domiciliário. Relativamente aos serviços prestados, as duas valências contemplam alimentação; lavagem e tratamento de roupas; higiene pessoal; higiene habitacional; animação/ocupação/lazer; apoio/acompanhamento em deslocações e actividades realizadas ao exterior. “De um modo geral pretendemos assegurar e satisfazer as necessidades básicas das pessoas; promover a continuidade ou restabelecimento das relações familiares e de vizinhança, e favorecer os sentimentos de interacção, auto-estima e segurança, de forma a contribuir para a estabilização e o retardamento do processo de envelhecimento”, refere a direcção presidida pelo padre António Nabais. E acrescenta: “Neste sentido e para melhor satisfazer as necessidades dos idosos, surge o projecto de construção da valência de Lar para 28 utentes, de modo a complementar as valências já existentes. Este é um projecto que surge de necessidades preeminentes das pessoas da Freguesia e utentes da instituição, já que acabam por se ver obrigadas a sair do seu meio, para irem para um local desconhecido, que lhes ofereça resposta às suas necessidades físicas, ignorando todas as suas vivências, memórias, necessidades psicológicas, condicionando a sua qualidade de vida”. “Nos últimos anos, vimos sair forçosamente da instituição, muitos utentes que nunca esperavam ter de o fazer. Foram «obrigados» a ir para outras instituições, desenraizando os idosos do seu contexto de vida, e preenchendo vagas de outros idosos nessas localidades. Daí o nosso empenho, no combate a essa «violenta» mudança na vida de um idoso, que espera estar perto de quem mais ama, e de quem lhe é familiar, nesta fase da sua vida”, é justificado.
A direcção assinala que “com muito esforço a instituição investiu o que tinha, tendo já iniciado a obra, estando a mesma parada há vários anos devido à ausência de financiamento”. “Este projecto é actualmente a nossa grande prioridade pois sonhamos com a sua conclusão dado o investimento que já foi efectuado. Tememos pelo futuro desta instituição já que, como referido anteriormente, temos assistido à saída de vários utentes, bem como, ao interesse por parte de outros potenciais que aquando de tomarem conhecimento da ausência da resposta de lar manifestam desilusão vendo-se obrigados a procurar noutros locais desconhecidos resposta para as suas necessidades”. “Ambicionamos ser uma Resposta Integrada, apoiando os idosos em diferentes fases da sua vida, 365 dias por ano. Proporcionar aos idosos um conjunto de experiências de animação para melhor responder às suas expectativas e necessidades e acima de tudo valorizar o seu saber e competências, contribuindo para o envelhecimento activo e saudável”, justifica.
Na vertente cultural, o Centro possui a Escola de Artes e Ofícios, que abriu portas em 2005 tendo como missão “valorizar, renovar e alargar os ofícios tradicionais e recursos endógenos da Freguesia que outrora foram o motor do seu desenvolvimento e que por vicissitudes várias estão a desaparecer como a Tecelagem de Cobertores de Papa e a Fabricação de Campainhas de Bronze”. “As Artes e Ofícios Têxteis de há uns anos a esta parte, início século IXX, sempre fizeram parte da vivência e expressividade cultural desta população. Num passado recente, esta arte foi fundamentalmente responsável pelo desenvolvimento e crescimento da aldeia, absorvendo toda a mão-de-obra disponível inclusive das povoações periféricas”, lembra a direcção. “Neste sentido e com o fecho das indústrias propomo-nos a preservar as artes locais e em particular o Cobertor de Papa produzido artesanalmente em 100% lã natural na nossa Escola”, acrescenta, lembrando que em parceria com o IEFP “tem proporcionado várias formações, muitas delas relacionadas com a lã, estando neste momento a decorrer formação de 50 horas em fabricação artesanal de sabonetes com lã feltrada”.