O Centro Paroquial de Seia (CPS), sob a presidência do Padre Joaquim Teixeira tem vindo a fazer diversas iniciativas para benefício das suas instalações

. Recentemente fez uma intervenção nas piscinas e todo o espaço envolvente. As piscinas foram dotadas de todos os equipamentos para poderem ser utilizados pelas respostas sociais de Creche, Pré-escolar, Actividades de Tempos Livres e ERPI - Estrutura Residencial para Pessoas Idosas.
O espaço envolvente conta com Campo de Jogos onde se pode praticar basquete, voleibol e futebol de cinco. A zona jardinada possui locais específicos para piqueniques, actividades culturais, sociais e de lazer e conta com todo o equipamento de apoio, como instalações sanitárias, incluindo para pessoas com mobilidade condicionada.
A direcção do CPS reconhece que o espaço agora remodelado “vai contribuir para o bem-estar de todos e facilita a realização de actividades inter-geracionais”. “É com muito agrado que o Centro Paroquial de Seia põe à disposição de todos os utentes, familiares e colaboradores um complexo desportivo e cultural potenciando as actividades de exterior”, é referido.
A direcção adianta que a realização desta obra “vem em simultâneo com a conclusão do processo de certificação do SGQ - Sistema de Gestão Qualidade pela NP EN ISO 9001”. Aquele Centro Paroquial é uma entidade certificada com o âmbito: “Prestação de serviços das respostas sociais da Creche, Pré-escolar e Estrutura Residencial para Pessoas Idosas”.
“O processo de SGQ pressupõe uma melhoria contínua e de excelência. É esta atitude que toda a estrutura do CPS está empenhada desde direcção, colaboradores e utentes. Foi com muito envolvimento, participação e empenhamento de todos que os resultados de excelência são conseguidos. É nosso propósito fazer sempre cada vez mais e melhor visando sempre o bem-estar de todos, dando cumprimento à missão: «Apoiar as famílias através das respostas sociais e pedagógicas a crianças, jovens e idosos, potenciando os recursos naturais envolventes»”, refere a direcção do CPS.
O Centro Paroquial de Seia, como instituição assistencial e educativa teve a sua génese em 1938 e 1942 com a criação de duas instituições que foram, respectivamente, o Agasalho dos Pobres e o Patronato de Nossa Senhora de Fátima, ambas com estatutos aprovados pelo Ordinário Diocesano. Dedicaram-se, a primeira, a distribuir pelos pobres roupas confeccionadas por senhoras voluntárias, a segunda, a ser frequentada todos os dias da semana, desde as 15.00 às 19.00 horas, por meninas de idades compreendidas entre os 5-14 anos, lê-se na página da instituição na Internet. O historial da instituição indica ainda que “como os vários serviços assistenciais criados funcionavam em lugares dispersos e com várias direcções, surgiu naturalmente a necessidade de os integrar numa única instituição com novos estatutos e uma só direcção. Assim, para o efeito, a Fábrica da Igreja, presidida pelo pároco, Pe. José Quelhas Bigotte, e com a colaboração de alguns paroquianos, criou a Obra da Assistência Paroquial de Seia, qualificada como pessoa colectiva de utilidade pública administrativa, com estatutos aprovados por despacho do Subsecretário de Estado da Administração Social, de 10/2/1953, publicado no Diário do Governo nº. 43 (III Série), de 20/2/1953”. A Obra da Assistência Paroquial de Seia reformulou os seus estatutos de acordo com o regime estabelecido no artigo 78º. do Decreto-lei nº. 519-G2/79, de 29 de Dezembro, adoptando, para todos efeitos legais, a denominação de Centro Paroquial de Seia. Mais tarde, com a nova denominação, e conforme o nº. 1 do artigo 94º. do Estatuto aprovado pelo Decreto-Lei nº. 119/83, de 25 de Fevereiro, passou a ser considerada como Instituição Particular de Solidariedade Social.