Semana Nacional Cáritas


A apresentação do estudo “Pobreza e exclusão social em Portugal: uma visão da Cáritas” marca a Semana Nacional Cáritas que está a decorrer, até 3 de Março.
Com o tema “Cáritas, O Amor que Transforma”, a iniciativa começou este domingo, 25 de Fevereiro e tem como objectivo dar “cara” a todos aqueles que diariamente procuram a Cáritas na expectativa de um sinal de esperança.
A apresentação do estudo “Pobreza e exclusão social em Portugal: uma visão da Cáritas” aconteceu esta terça-feira, 27 de Fevereiro, em parceria com a Cáritas Diocesana do Porto e a Universidade Católica no Porto.
Trata-se da primeira edição de um trabalho promovido no âmbito do Observatório Cáritas e que tem por base a análise dos indicadores oficiais do INE e a leitura do Observatório da Cáritas sobre esta realidade. Centrado nas situações de pobreza mais severa, assume uma perspectiva multidimensional, sublinhando que a pobreza e a exclusão são fenómenos que apenas podem ser combatidos com intervenções multidisciplinares. Para além da apresentação do estudo faz parte do programa um painel onde serão apresentadas diferentes visões, de diferentes sectores da sociedade, sobre o combate à pobreza e exclusão social em Portugal.
Na introdução a este estudo pode ler-se: “Portugal é um país onde subsistem níveis elevados de pobreza e exclusão extremas. Em 2023, de acordo com as estatísticas do INE, mais de 500 mil indivíduos viviam numa situação de privação material e social severa. Entre 2019 e 2023, não se observaram progressos significativos no combate à pobreza mais extrema em Portugal. Em várias dimensões a situação até se deteriorou. O aumento do número de pessoas em situação de sem-abrigo ou sem capacidade de manter a casa aquecida são disso exemplos claros.”
“Acreditamos que esta reflexão, feita a partir da identidade da Cáritas, poderá ser um contributo para toda a sociedade, mas também para todos os decisores políticos que têm na sua actividade a possibilidade de desenhar políticas de resposta adequadas à resolução dos problemas daqueles que se encontram mais vulneráveis”, explica Rita Valadas, presidente da Cáritas Portuguesa.
Em Portugal a rede Cáritas dá resposta a mais de 120 mil atendimentos e desenvolve um trabalho alargado de proximidade através da implementação de respostas sociais que alcançam todas a áreas de vulnerabilidade da pessoa.
A rede Cáritas em Portugal é constituída por 20 Cáritas Diocesanas, entre as quais a Cáritas Guarda, que anualmente respondem a cerca de 120 mil pessoas vulneráveis através de uma resposta social de emergência (alimentação, pagamento de despesas de água luz e habitação), mas, também, através da implementação de programas de empregabilidade e outras formas de inserção social.
Na Guarda os donativos serão encaminhados para o Centro de Apoio à Vida Nascer com o alojamento e apoio a mães, grávidas, e respectivos filhos.