’Entrevista: Vitor Fernando Graça – criador da empresa ‘Manteigas by Heart’

A GUARDA: O que é que o levou a criar empresa ‘Manteigas by Heart’?
Vitor Graça: Antes de mais deixe-me agradecer por esta entrevista. É um claro sinal de que há gente a conhecer, e a reconhecer, projectos como este. Respondendo à sua pergunta. Sou um apaixonado pela “minha” Serra da Estrela, e vivendo eu em Manteigas senti necessidade de alargar os horizontes. Juntamente com mais dois amigos começámos a elaborar umas ideias e aos poucos fomos avançando com a ideia de criar o ManteigasByHeart. Mais tarde juntaram-se nesta aventura mais dois amigos. Actualmente sou o único com esse projecto ainda muito bebé. A GUARDA: Quais as principais actividades que são promovidas pela empresa ‘Manteigas by Heart’?
Vitor Graça: No início passavam só pelas caminhadas na Serra da Estrela, principalmente no Concelho de Manteigas. Tudo corria bem, e tínhamos uma procura acima do que esperávamos. O objectivo seguinte seria alongar as caminhadas para as nocturnas, realizando acampamentos selvagens. Mas foi algo que não chegámos a concretizar. A GUARDA: Quais as principais dificuldades que tem encontrado no desenvolvimento das actividades? Vitor Graça: As maiores dificuldades foram, sem dúvida, as diversas opiniões/ideias entre nós. Aos poucos os cinco membros foram saindo do projecto deixando mesmo de acreditar no futuro deste. De momento sou o único com o projecto e tenciono fazê-lo crescer após esta fase que atravessamos.
A GUARDA: A vossa aposta passa apenas pelo contacto directo com a natureza ou estão previstos outros projectos?
Vitor Graça: Actualmente, antes desta pandemia, voltei à estaca zero para um projecto diferente. Decidi construir um ginásio (já está o projecto feito), que com a pandemia tem sofrido um grande atraso para o início das obras. O objectivo é dar mais opções de actividades a quem vem praticar as modalidades de natureza mais procuradas na nossa Serra, BTT e Trail Running principalmente. Actualmente ao ManteigasByHeart acrescentei o RRP - Reabilitação, Recuperação e Performance.A GUARDA: Porquê Manteigas para começar a descoberta de paisagens únicas e experimentar a verdadeira sensação de liberdade, na Serra da Estrela?
Vitor Graça: Essa é uma pergunta bastante fácil de responder mas permita que lhe explique de um modo que costumo contar a quem me faz essa pergunta. Quase todos os dias vou até à cidade da Guarda onde tenho um dos meus trabalhos como instrutor de fitness, desde já mando um abraço a todos dos Golden Fitness&Spa. Todos os dias quando dou a última curva em que ao olhar para o retrovisor se vê Manteigas, os meus olhos ficam diferentes. Quando regresso e vejo aqueles mantos de folhas, aquela Vila coberta de montanhas, aquele Vale Glaciar e todos os restantes recantos que nos libertam a alma... tudo muda para melhor. Poderia estar aqui horas e horas a falar que em cada frase haveria diferentes motivos. Como costumo dizer, sou um sortudo todos os dias e em todos os momentos que abro os olhos só para ver o que me rodeia. A GUARDA: Ainda há muito para explorar e descobrir na Serra da Estrela? Vitor Graça: Há sempre coisas novas que encontramos. Os lugares mais bonitos estão escondidos ou têm percursos mais perigosos. A Serra da Estrela é diferente de todas as outras. A beleza que ela esconde desperta a curiosidade de muita gente. Por vezes aparece gente sem experiência nenhuma e sem qualquer conhecimento dos terrenos que pisa. Daí ser preciso recorrer a um guia que conheça o terreno. A GUARDA: O futuro de Manteigas passa pelas actividades ao ar livre?
Vitor Graça: Tenho visto um grande crescimento de gente que percorre os nossos trilhos. As provas de trail que aqui são realizadas ajudaram muito a isso (Estrela Grande Trail e Trilhos do Burel). O Estrela Grande Trail é sem dúvida o expoente máximo e com o nascer dos Trilhos do Burel que passa por uma zona ainda pouco explorada, ajudou a que houvesse uma maior procura. Acredito que quando a pandemia passar, o turismo irá crescer 200% em toda a zona do concelho de Manteigas. Mas isso não basta, claro. É preciso infraestruturas que apoiem esse crescimento e é preciso que quem venha respeite o espaço que pisa. Infelizmente sabemos que quanto mais gente, mais lixo irá haver. Há depois aqueles que respeitam a liberdade de todos, e haverá sempre aquele tipo de gente que apenas vem pela fotografia e “sem querer” deixa cair o lixo no chão. Espero sempre que estes últimos aprendam a viver como os primeiros.