Entrevista: Susana Martins criadora da marca Joia da Raia


Susana Martins, criadora da marca Joia da Raia, é natural de Coimbra, onde também estudou. Nos tempos livres gosta de viajar, estar com amigos e família, pintar, cozinhar, fazer yoga e estar em constante aprendizagemA GUARDA: O que é e com que finalidade nasceu a marca Jóia da Raia? 
Susana Martins: A Joia da Raia digamos que surgiu na inspiração de ter algo para oferecer a quem gosta muito da nossa tradição - capeia arraiana. A minha mãe é uma verdadeira aficionada e, como tal, eu desenhei e criei a primeira medalha circular com o forcão em prata. E assim nasceu a ideia, criei e mandei reproduzir a um ourives...e depois, assim naturalmente, foram fluindo mil e uma ideias na minha cabeça! “O homem sonha, o homem cria”. A GUARDA: Porquê o lema: O forcão é um símbolo só nosso! Capeia arraiana, o nosso património! A nossa afición, nosso orgulho!
Susana Martins: A capeia arraiana está no nosso Património Cultural imaterial desde 2011, graças à sua profundidade histórica e ancoragem territorial, a efectiva transmissão intergeracional desta manifestação em onze freguesias do Sabugal. Abrangendo não apenas os residentes mas todos os que partilham laços de parentesco e que participam voluntariamente na realização da respectiva Capeia, desempenhando assim um papel de extrema importância na preservação desta prática. A GUARDA: Podemos dizer que, mais do que uma marca, a Jóia da Raia abarca a cultura da região da raia do Sabugal? 
Susana Martins: Sim claro. É isso mesmo que pretendo transmitir com orgulho, fazendo assim a divulgação do nosso símbolo único e majestoso - o Forcão , através dos meus produtos e acessórios. A GUARDA: Quais os principais produtos que integram a marca Jóia da Raia?
Susana Martins: Os primordiais produtos foram efectivamente a medalha circular em prata, o forcão pequeno em prata e o forcão médio em prata. Depois surgiram as outras sugestões, como por exemplo, os brincos redondos, a pulseira em couro, os porta-chaves, o colar com chapa em aço, a carteira porta-documentos, o ‘doudou’ para bebé, fio com forcão em aço, entre outros. 
A GUARDA: Quem são os principais destinatários desta marca? 
Susana Martins: Todos os arraianos, descendentes e simpatizantes pela nossa região, todos aqueles que amam a nossa tradição. Mas posso dizer que já vendi produtos, a uma pessoa do Alentejo, que não tem qualquer ligação à Raia, mas que por ter assistido uma vez a uma capeia nossa, gostou tanto e identificou-se de tal forma, que quis ficar com uma recordação. Isto é realmente uma satisfação para mim, um orgulho enorme de ser Arraiana. Ser Arraiana “não se explica, sente-se”!

A GUARDA: Quais as principais dificuldades que tem sentido na divulgação e promoção da marca? 
Susana Martins: Por incrível que pareça, não tenho tido dificuldades na divulgação. Hoje em dia podemos usar o Facebook e o Instagram gratuitamente, como meio de promoção, sendo esta a minha principal via de divulgação. 
A GUARDA: Onde como as pessoas podem adquirir os produtos Joia da Raia? 
Susana Martins: A venda principal é online, através da minha página oficial do Facebook: https://www.facebook.com/joiadaraia ou no Instagram: @joiadaraia.Porém, tive a necessidade de ter também disponível fisicamente ao público em locais da nossa região, fazendo assim chegar a todas as pessoas, para verem os produtos pessoalmente, e como tal, tenho a ajuda e colaboração, de duas amigas, que disponibilizaram o seu espaço comercial, para expor e revender os meus produtos. No Sabugal existe na loja de vestuário ANGELLYS e, no Soito, na Florista Carina Sonhos Floridos. A GUARDA: Como olha para o futuro da zona da raia do Sabugal onde a população, principalmente das zonas rurais, está cada vez mais envelhecida? 
Susana Martins: Já vi as coisas piores...de momento até acho que a nossa zona se está a desenvolver e a dar-se a conhecer. As zonas rurais, hoje em dia, são as mais procuradas a nível de Turismo e, com a Pandemia, tivemos bem essa prova. Quanto à população envelhecida, vejo que têm mais e melhores lares, apoios sociais e centros de dia. Fico muito feliz por ver essa dedicação e evolução.