Vila Nova de Foz Côa

“Gravuras recentes e outros riscos” é o título da exposição de João Cutileiro que está patente ao público, no Museu do Côa, em Vila Nova de Foz Côa. Trata-se do último projecto do escultor e, formalmente, o primeiro desenvolvido pelo Centro de Arte João Cutileiro, entidade criada para promover a salvaguarda e divulgação do legado artístico deste extraordinário artista. Pensada para inaugurar em Novembro de 2020, a mostra resultou de uma proposta de Bruno Navarro e da Fundação Côa Parque, ainda em 2019, em articulação com a Direcção Regional de Cultura do Alentejo. O Museu do Côa adianta, em comunicado, que “para além de uma exposição de escultura e desenho, trata-se de uma ocasião particularmente emotiva para as equipas envolvidas na sua produção, que assume também o sentido de homenagem ao escultor e ao historiador que lhe deram origem”.  E acrescenta: “Trazer ao Côa as suas gravuras sobre pedra foi uma ideia entusiasmante para João Cutileiro, que tinha um particular fascínio pela produção artística do Vale do Côa. Admirava a modernidade, a força e a energia telúrica dos artistas do Côa e a forma como, intencionalmente, riscaram a vida nas pedras”. Gravuras sobre pedra, desenhos sobre papel e um conjunto de guerreiros foram seleccionados em estreita ligação com o escultor para o espaço do Museu do Côa. A exposição procura “estabelecer relação com a envolvente e mostrar trabalhos com representatividade no contexto da obra de João Cutileiro, fortemente marcada pela presença feminina”.