Portugal e Espanha apresentaram o projecto transfronteiriço

“Facendo Caminho”O Turismo do Porto e Norte de Portugal e o Turismo da Galiza apresentaram o projecto “Facendo Caminho” com o objetivo de consolidar as rotas rumo a Santiago de Compostela, valorizando o património e a natureza.Na apresentação do projecto, que decorreu no dia 16 de Janeiro, os responsáveis afirmaram que objectivo passa por “consolidar as rotas do Caminho de Santiago, impulsionando-o como recurso patrimonial e natural transfronteiriço, capaz de gerar actividades turísticas e económicas que contribuam para o desenvolvimento socioeconómico do território”.Para a directora do Turismo da Galiza, Nava Castro, o Ano Santo, em 2021, e a abertura da Porta Santa prevista para este ano vão ser uma ocasião para um reposicionamento turístico entre Portugal e Espanha, com o desenvolvimento do projecto.Há várias rotas traçadas rumo a Santiago de Compostela, mas os caminhos portugueses, quer pela Costa como o Interior, são o segundo e terceiro mais procurado; o mais percorrido é o Caminho Francês.O projecto tem um orçamento de cerca de 657 mil euros e é financiado pelo Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriço Espanha Portugal (POCTEP), a partir de um Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.Estão previstas acções de promoção, comunicação, a elaboração de guias de boas práticas da gestão dos Caminhos de Santiago e também a criação de um ‘software’ de produção da cartografia.O projecto vai decorrer até Dezembro de 2021 e tem como parceiros o Turismo do Porto e Norte de Portugal, a DRCN, o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza/Norte de Portugal e a Turismo da Galiza.Os Caminhos de Santiago, actualmente feitos por pessoas de 180 nacionalidades diferentes, são percursos de peregrinos, cuja tradição remonta ao século IX, que leva milhões de pessoas anualmente, à cidade na Galiza, para visitar o túmulo do apóstolo São Tiago.A Via Portugal Nascente reconstrói o Caminho de Santiago pelo Interior de Portugal entre Tavira e Trancoso, ao longo de 19 etapas e numa distância de 390 quilómetros, com passagem pelo concelho da Guarda (Valhelhas, Famalicão, Fernão Joanes, Trinta, Guarda). Daí continua para Santiago pelo Caminho de Torres e outros já existentes.Este projecto foi realizado pela Associação de Peregrinos Via Lusitana, com o apoio do Turismo de Portugal e de todos os Municípios e Dioceses envolvidas.É um trajecto respeitador da História, marcado quase sempre por caminhos de campo, com o contacto com a natureza e o envolvimento espiritual próprio dos Caminhos de Santiago.Estão previstas etapas com condições de alojamento, com distâncias maioritariamente entre os 20 a 25 quilómetros.