Trancoso


As sardinhas doces de Trancoso venceram a fase distrital do concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”. A votação aconteceu no dia 10 de Julho, durante a emissão em directo da RTP1, a partir da Guarda.
Este doce conventual, integrado na categoria Doce de Território, passou às meias-finais do concurso, deixando para trás o bolo D. Sancho (Guarda), na categoria Doce de Inovação, o Bolo Negro de Loriga, as Cavacas de Pinhel, os Doces de Amêndoa (Vila Nova de Foz Côa), a Flor de Escalhão (Figueira de Castelo Rodrigo) e o Ouriço de Castanha (Seia).
Este é um doce conventual, com origem no séc. XVII, que faz parte do receituário do convento feminino de Santa Clara, em Trancoso, também conhecido por Convento de Nossa Senhora do Sepulcro.
As sardinhas doces de Trancoso são um doce de massa tenra, em forma de sardinha, recheado de amêndoas, ovos, açúcar e canela e com cobertura de chocolate. O ligeiro travo da especiaria, que sobressai no doce, torna-o verdadeiramente sublime.
Desde 2007 que o concurso ´7 Maravilhas’ promove “os grandes valores da identidade nacional, realizando iniciativas que promoveram o nosso património histórico, natural, gastronómico, praias, e as aldeias do nosso país”.
Na edição de 2019, o destaque vai para os doces portugueses enquanto “produto endógeno” e “a marca da terra”, dando visibilidade à “preservação da qualidade dos ingredientes” e “capacidade que o país tem de inovar e de se reinventar nas suas tradições”.