Seia - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela


Taming the Garden foi o grande vencedor do “Grande Prémio Ambiente – Câmara Municipal de Seia”, da 28ª Edição do CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. A obra de Salomé Jashi (Suíça, Alemanha, Geórgia) é uma ode à rivalidade entre o homem e a natureza, que conta a história de um homem poderoso que se entrega a um hobby invulgar, transplantando para o seu jardim privado de árvores seculares, junto à costa da Geórgia.
O “Prémio Antropologia Ambiental – Zurich Seguros” coube a AYA, de Simon Gillard, Bélgica, França, que mostra a história da jovem Aya que cresce e vive com a sua mãe na ilha de Lahou.
Na Competição Internacional de Curtas-Metragens, o Prémio Curta-Metragem Internacional – Turistrela foi para Estrellas del Desierto, de Katherina Harder Sacre, uma ficção que dá a conhecer Antay, de 12 anos, e a sua equipa de futebol, na zona mais a norte do Chile, a meio do deserto de Atacama, que tem sido assolado por secas.
Já o “Prémio Educação Ambiental – Associação Mares Navegados” coube ao filme Plástic Shopper, do realizador francês Pierre Dugowson.
A curta portuguesa de João Gonzalez, Ice Merchants, arrecadou dois troféus correspondentes ao Prémio Curta-Metragem de Animação e ao Prémio Curta Metragem em Língua Portuguesa.
Na Competição de Curtas-metragens Internacionais, o júri atribuiu duas Menções Honrosas, uma a L’Impianto Umano, uma ficção italiana de Andrea Sbarbaro, e a The Sausage Run, uma animação alemã de Thomas Stellmach.
Na Competição de Séries e Reportagens Televisivas, o “Prémio Televisão” foi para Food Fraud: An Organised Crime, de Bénédict Delfaut, um documentário francês que retrata o crime alimentar de uma indústria multibilionária que afeta tudo, desde o ingrediente mais barato ao mais caro.
Nesta competição, o júri atribuiu uma Menção Honrosa ao documentário francês “Une Terre Sans Abeilles?”, de Nicolas Dupuis e Elsa Putelat.
Nas Competições de Longas-Metragens em Língua Portuguesa, o “Prémio Camacho Costa - Lipor” foi atribuído a Águas de Pastaza, de Inês T. Alves.
Na competição de Curtas-Metragens em Língua Portuguesa, para além do melhor prémio ter sido atribuído a Ice Merchant, de João Gonzalez, o júri atribuiu duas Menções Honrosas, uma a “Água nas Guelras”, de Marco Schiavon, e outra a “Labuta”, de Inês Alves e Lara Plácido.
O Prémio Panorama Regional foi para o documentário Pastor Cósmico, de Inês T. Alves, Mariana Pinho e Duarte Martins, uma viagem de um pastor que fala da sua ligação profunda com as cabras, da enredada ligação dos seres e dos lugares, da vida e da morte.
O Prémio Valor da Água – Águas do Vale do Tejo foi atribuído a Programa Atlantis, de Gustavo Neves.
O Júri da Juventude, composto por um painel de seis jovens, atribuiu os seguintes galardões em todas as competições: Prémio Juventude Longa-Metragem para Ganado Desierto, de Francisco Vaquero Robustillo; Prémio Juventude Curta-Metragem Internacional a Habiter le Seuil, de Marine Chesnais e Vincent Bruno, com uma Menção Honrosa para Total Disaster, de Keil Orion Troisi e Molly Gore; Prémio da Juventude Série e Reportagem Televisiva ao documentário Uprooted, de Balint Revesz, e Menção Honrosa a Programa Atlantis, de Gustavo Neves; Prémio da Juventude Longa-Metragem em Língua Portuguesa a Águas de Pastaza, de Inês T. Alves; Prémio da Juventude Curta-metragem em Língua Portuguesa a “Agir ou Perder”, de João Esteves, e uma Menção Honrosa a “Água nas Guelras”, de Marco Schiavon; e o Prémio da Juventude Panorama Regional a Estrela - um Território em Mudança, com uma Menção Honrosa a “O Salto do Contrabando”.
Portugal, França e Espanha foram os países com maior representação cinematográfica na Competição Oficial da 28ª edição do CineEco, que decorreu na Casa Municipal da Cultura de Seia, entre 8 e 15 de Outubro. Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental teve 70 filmes em competição, de mais de 20 países.