Seia


No concelho de Seia, a Festa da Transumância e dos Pastores regressa no dia 9 de Julho, com o maior número de cabeças de gado a reavivar a tradição ancestral associada à deslocação sazonal de rebanhos na Serra da Estrela.
A iniciativa é organizada pelo Município de Seia e a Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha (ADIRAM), em articulação com os pastores, e tem como principal objectivo preservar e dignificar este ofício, ainda tão enraizado na comunidade pastoril do território. A Festa da Transumância e dos Pastores também integra o projecto intermunicipal Terras da Transumância.
De acordo com a autarquia de Seia “não se trata de uma recriação, mas sim, de uma concertação de vontades, em que a prática solitária de outrora, dá lugar à partilha de experiências, entre pastores e turistas, visitantes e residentes”.
Esta tradição ancestral inicia-se com um ritual de fé, no dia 19 de Junho. Os pastores de várias aldeias do concelho de Seia, acompanhados dos rebanhos (cabras e ovelhas Serra da Estrela), devidamente ornamentados com os maiores e melhores chocalhos, cabeçadas e borlas feitas de lã de ovelha, desfilam à vez, à volta da capela de São João, na aldeia da Folgosa da Madalena, em busca de bênção para mais uma transumância.
A subida às pastagens de verão realiza-se 15 dias depois, a 9 de Julho. O percurso de aproximadamente 11 km começa em Seia. O gado, mais de 1000 cabeças, proveniente das terras chãs de Santa Comba, Folgosa, Maceira, São Martinho, Paranhos e Pinhanços, concentra-se no largo da Câmara, às 7.30 horas, e atravessará a zona histórica da cidade em direcção à montanha, percorrendo caminhos que há séculos conduzem pastores e rebanhos à Aldeia de Montanha do Sabugueiro. Daqui alguns dos rebanhos seguem para as pastagens de altitude, onde vão pernoitar e passar os meses seguintes, até ao São Miguel.
Pelo caminho estão preparadas degustações gastronómicas, como a típica merenda do Alforge e um almoço com os pastores, e vários momentos de animação.