Na Feira do Queijo, em Seia

A abertura da Feira do Queijo de Seia, no dia 22 de Fevereiro, serviu de pretexto para a entrega de uma Carta Aberta dirigida ao Primeiro-Ministro António Costa, assinada por 18 Movimentos Cívicos das regiões no Norte e Centro afectadas pela eventual prospecção e exploração de lítio.A Carta surge na sequência de um pedido de transparência entregue ao Ministério do Ambiente e da Acção Climática no dia 10 de Fevereiro que pediu a abertura ao público das visitas às autarquias afectadas que tinham como objectivo apresentar a regulamentação da nova lei da mineração. Os movimentos ficaram, até à data, sem resposta directa do Ministério que reagiu, no entanto, com o cancelamento das visitas cuja abertura fora exigida.A Carta Aberta, que foi entregue ao Secretário do Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, realça o “pedido urgente de estabelecer transparência e participação pública”, exigindo a publicação da existente proposta do Decreto Lei. Para além do pedido de transparência os movimentos também declaram a sua oposição à retirada de poder decisório às autarquias locais prevista no Decreto Lei, “numa altura em que se promove a transferência de competências para as autarquias em tantas matérias”.Os Movimentos reconhecem “a urgência da descarbonização da economia e do desenvolvimento de estratégias para mitigação das mudanças climáticas“ mas não consideram que as propostas de mineração “representem um contributo válido para o desenvolvimento sustentável do nosso território. Ao contrário, acreditam que serão causa de declínio económico e de agravamento da emigração.