Seia


O conjunto de edifícios pertencentes ao município de Seia, no Centro Histórico, assim como a antiga cantina da Fisel, são apontadas como “boas soluções para a criação de uma residência de estudantes”, em Seia.
A Fundiestamo - Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, S.A., por iniciativa da Câmara Municipal de Seia, com o Instituto Politécnico da Guarda, realizou, no dia 27 de Novembro, uma visita de trabalho a Seia para avaliar as propostas que a autarquia sinalizou no âmbito do Plano Nacional de Alojamento para o Ensino Superior.
Os coordenadores da sociedade que gere o Fundo Nacional para a Reabilitação do Edificado (FNRE), composto por capitais do Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, visitaram os imóveis no Centro Histórico e antiga cantina da Fisel.
O Presidente da Câmara de Seia explicou que esta acção pretende “promover a oferta para estudantes do ensino superior e famílias que, não sendo carenciadas, têm dificuldade em encontrar habitação condigna a valores que consigam suportar”.
Filipe Camelo adiantou que a construção deste equipamento é absolutamente vital para a consolidação e afirmação da Escola Superior de Turismo e Hotelaria, na medida em que a torna mais atractiva no que se refere à captação de novos alunos, nacionais e estrangeiros.
A autarquia considera que as soluções apresentadas apresentam enormes vantagens para Seia. No caso do Centro Histórico permitiria reabilitar edifícios devolutos e repovoar o ‘miolo’ da cidade. No que se refere à solução da antiga cantina da Fisel, permitiria prosseguir com a intervenção de reconversão da zona cimeira da cidade, criando um equipamento com maior escala e abrangência, capaz de servir os alunos do ensino superior, profissional, secundário e artístico.
Com a identificação dos imóveis segue-se agora a avaliação preliminar sobre a viabilidade funcional e económico-financeira da operação (o valor existente, o custo da reabilitação e a rentabilidade), a consensualização do programa (tipologias) e a definição do respectivo modelo de gestão.
Seia dispõe, actualmente, de uma residência de estudantes a funcionar provisoriamente num espaço adaptado para o efeito, cujo arrendamento é financiado pela Câmara Municipal.