Sabugal


‘A Fronteira’ é o tema da exposição de pintura de Rui Coutinho que vai estar patente na sala de exposições temporárias do Museu do Sabugal, de 9 de Setembro a 30 de Outubro.
Rui Coutinho é natural da Cerdeira, Sabugal, e reside em Santo Tirso. É licenciado em Artes Plásticas – Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto, com Mestrado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes do Porto. Tem participado em inúmeras exposições individuais e colectivas e encontra-se representado nas colecções dos CTT, na Secretaria de Estado da Juventude e em colecções privadas em Portugal e no estrangeiro.
O artista inicia a sua aproximação à fronteira no domínio pessoal: o público e o privado, de onde se desloca para a fronteira ideológica, cultural, política, terrestre e marítima. No seu trabalho oficinal (passada a ameaça do abstraccionismo de Clement Greenberg), e com a aval do “vale quase tudo” na senda do pós-modernismo como afirma José Gil, somos presenteados com um acervo citacionista de referências que onde ajuda para o espectador uma certa literacia pictórica.
Na mole de referências possíveis, são selecionadas cirurgicamente imagens que permitem uma obra onde se entrosam as margens pedregosas do Côa, a paisagem barroca holandesa, o rato Mickey, Elder Fritz (que glorificou a raça ariana nos anos trinta), Liubov Popova, Philip Guston, Mario Sironi ou o fotógrafo Evan Baden (entre muitas outras possibilidades).
Com entrada livre, a exposição pode ser visitada até ao dia 30 de Outubro, todos os dias, das 9.30 às 13.00 horas e das 14.00 às 17.30 horas.