Sabugal

A Câmara Municipal do Sabugal volta a criar o maior Presépio natural do país, este no Largo do Castelo. De acordo com a autarquia presidida por António Robalo, o Presépio “estará disponível aos visitantes a partir de dia 9 de Dezembro até 7 de Janeiro, com o cumprimento das normas impostas pela Direcção Geral da Saúde (DGS) para a protecção da comunidade na contenção da pandemia por Covid-19”.O Presépio do Sabugal vai já na sexta edição e é considerado o maior presépio natural do país, e tem atraído largas centenas de visitantes todos os anos, registando uma média anual de 50 mil visitas. Construído à escala normal, ocupando mais de mil metros quadrados, a estrutura utiliza toneladas de elementos naturais para transmitir uma percepção tão real quanto possível. A autarquia adianta que o Presépio “tornou-se um espaço identitário do ponto de vista cultural do Sabugal apresentando-se ao público como um ponto de interesse a visitar, a par dos monumentos, museus, castelos ou postos de turismo”.António Robalo considera que “a decisão da organização desta iniciativa assumiu uma especial importância este ano, pelas contingências que todos conhecemos. Celebrar a quadra natalícia com a força das nossas tradições, incutindo valores de partilha, de compaixão e de esperança fazem mais sentido este ano do que nunca”.O executivo, que tem centrado a sua atenção nos últimos meses nos aspectos sociais de apoio e protecção à comunidade, em virtude das contingências sanitárias, entendeu que a resposta a todas estas solicitações em nada conflituaria com o destacamento de uma equipa que cumprisse com este objectivo “de manter viva esta marca identitária do nosso Concelho, que já ganhou notoriedade nacional. Acresce que esta realização não põe em causa, nem limita a capacidade da Câmara na resposta a todos os que possam necessitar da solidariedade e apoio social”, refere o autarca.A organização desta exposição ao ar livre estabeleceu um plano de contingência com entradas e circulação controladas. Criou um sistema de vigilância pelo cumprimento de todas as normas em vigor para garantir a segurança dos visitantes, como sejam o acesso limitado e organizado ao local, medição das temperaturas, a desinfecção das mãos, o uso obrigatório de máscara facial e a distância mínima de segurança de dois metros. Para António Robalo “o objectivo é que todos os visitantes, de todas as idades possam aceder ao local em extrema segurança, usufruindo da contemplação do Presépio porque só assim faz sentido a partilha desta iniciativa que tanto simbolismo acarreta”.