Sabugal


O novo Hotel Rural do Cró, construído na Freguesia de Rapoula do Côa, no concelho do Sabugal, na zona das Caldas do Cró, vai começar a funcionar no final do 1.º trimestre deste ano. “A abertura do Hotel será no primeiro trimestre de 2015 para coincidir com a abertura da época termal”, disse ao Jornal A Guarda Paulo Martins, presidente do Conselho de Administração da empresa “Natura Empreendimento, SA”, responsável pela concretização do projecto.
O lançamento da primeira pedra da obra decorreu no dia 15 de Dezembro de 2012, no âmbito das Jornadas de Turismo sobre “Recursos, Dinâmicas e Oportunidades” promovidas pela Câmara Municipal do Sabugal. A construção sofreu alguns atrasos relativamente ao prazo inicial, que apontava para Junho de 2014, devido a “alguns factores que se prenderam com a execução dos processos dos fundos comunitários”, justificou aquele responsável. Paulo Martins referiu ainda que a unidade hoteleira irá contribuir para a dinamização da estância termal do Cró.
O equipamento hoteleiro irá criar outras valências de apoio ao balneário termal que está em funcionamento desde 2011, de forma a garantir maior comodidade aos utentes. O projecto pretende garantir a rentabilidade do equipamento instalado e complementar os serviços já garantidos pelo balneário. Irá igualmente permitir o desenvolvimento de cuidados prolongados, criando conforto a quem recorre às termas. A nível social e económico o Hotel Rural do Cró quer reforçar a qualidade hoteleira através de uma oferta inovadora no concelho, sendo o primeiro hotel rural da região.
O projecto aparece aliado ao projecto de requalificação dos serviços oferecidos pela estância termal, com o desenvolvimento da área clínica e ginásio. O Hotel Rural do Cró foi previsto, inicialmente, a pensar na recuperação do edifício inicial, em ruínas. No entanto, pelo facto de as ruínas se situarem em leito de cheia da Ribeira do Cró, não foi possível avançar com este objectivo. O edifício foi construído a Sul do balneário, atendendo à proximidade daquele equipamento, à rede viária e infra-estruturas de electricidade, telecomunicações, água e gás.
O Hotel é um projecto de categoria 4 estrelas e envolveu a construção de um edifício de 5 pisos, um abaixo da cota da soleira e os restantes 4, acima. Possui 30 quartos e disponibiliza um total de 60 camas. Está ainda equipado com um Anfiteatro de 80 lugares e com um Salão Multifunções com capacidade para 240 pessoas sentadas.
O Hotel Rural do Cró representa um investimento de cerca de 3 milhões de euros e tem uma comparticipação comunitária de perto de 2,2 milhões de euros.
As águas termais do Cró estão indicadas para tratamento de problemas reumáticos e músculo-esqueléticos e afecções respiratórias, sendo também procuradas para problemas de pele. No campo das doenças músculo-esqueléticas e reumáticas são indicadas para osteoartrose, reumatismos inflamatórios e abarticulares (ombro doloroso, nevralgias e ciatalgias), artropatias traumáticas e pós-operatório ortopédico). Nas doenças do foro respiratório/ORL são indicadas para rinite, sinusite, bronquite, faringite, laringite, asma brônquica e DPOC. São ainda utilizadas por doentes que apresentem doenças de pele e patologias dermatológicas (psoríase, eczema, úlceras varicosas e acne). Na área do bem-estar, o complexo termal dispõe de tratamentos Basic, Descoberta, Relax, Reafirmante, Purificante, Slim, Capeia e Vip.
O balneário dispõe de amplas e modernas instalações e tem capacidade para atender cerca de 800 pessoas por dia.