Sabugal


O rio Cesarão, afluente do rio Côa, serve de cenário à ‘Encenação da Vida e Paixão de Cristo’ que vai decorrer esta Sexta-Feira Santa, a partir das 21.00 horas, Vilar Maior, concelho do Sabugal. A pensar nos visitantes, a organização decidiu concentrar grande parte das cenas junto do rio, onde foram instaladas bancadas com 700 lugares sentados e mais 200 junto das margens.
“As pessoas queixavam-se de que vinham para ver a encenação e acabavam por ficar defraudadas por não terem grandes condições de visibilidade o que levou a organização a apostar neste novo modelo, com a concentração de quase todas as cenas da vida e obra de Cristo junto do rio e com lugares sentados”, explicou João Reis, responsável pela coordenação e encenação.
O percurso entre o rio e o Castelo, lugar escolhido para a cena do calvário e da ressurreição, terá apenas dois momentos intercalares no encontro de Jesus com a Mãe e com Verónica.
João Reis explicou ao Jornal A GUARDA que “quase todas as cenas têm um momento musical” de maneira a tornar a encenação deste ano diferente da dos anos anteriores. Outra das apostas passa pela exaltação das mulheres que vão aparecendo nos Evangelhos.
Esta iniciativa, que todos os anos atrai largas centenas de pessoas, começou a ser preparada em Fevereiro, e envolve mais de uma centena de actores e figurantes.
“A maior parte das pessoas que estão envolvidas na encenação deste ano já participaram nas edições anteriores o que facilitou o nosso trabalho”, comiserou João Reis que volta a encarnar a personagem de Cristo.
Num ano em que a ‘Encenação Vida e Paixão de Cristo em Vilar Maior’ já atingiu um a projecção mais alargada, com a divulgação nacional e internacional, João Reis espera que o tempo esteja convidativo para que as pessoas possam apreciar e viver “este momento tão significativo em plena Semana Santa”.
A iniciativa promovida pela Associação Muralhas de Vilar Maior, com o apoio do Município do Sabugal e da União de Freguesias de Aldeia da Ribeira, Vilar Maior e Badamalos, em estreita colaboração com a comunidade local.