Sabugal

A Câmara Municipal do Sabugal criou uma estrutura de retaguarda com 15 camas, através da adaptação da inactiva hospedaria Santa Isabel, na cidade, para reforçar a resposta nacional e local de controlo da pandemia de covid-19. Esta é uma das medidas que a autarquia implementou recentemente e que, a par com outras, formam um pacote de intervenção em diversas frentes. O local já foi vistoriado pela Unidade Local de Saúde, pela Segurança Social, pela Protecção Civil e pelas entidades da Saúde Pública e está pronto a operar. António Robalo, Presidente da Câmara Municipal do Sabugal, explica que “não se trata apenas de termos espaço para camas – para a Câmara Municipal do Sabugal seria possível instalar mais de 100 camas em espaços abertos, ginásios ou polidesportivos. No entanto, existem regras de sanidade a cumprir, que obrigam a que a criação destas estruturas tenham, por exemplo, quartos separados entre muitos outros requisitos”. E acrescenta: “nada nos demove de procurar encontrar continuamente resposta para as nossas pessoas, para apoiar e acompanhar o esforço que está a ser feito e contribuir em todas as frentes. Estamos a trabalhar em mais soluções”. Entre outras medidas, a Câmara Municipal deliberou assegurar as refeições, sempre que necessário, das IPSS do concelho, caso ocorra um surto que ocupe os recursos humanos das instituições e dificulte a gestão da cozinha, como aconteceu recentemente na Santa Casa da Misericórdia, no Soito.Em Outubro, o Executivo reiterou a importância da manutenção de diversas medidas que já tinham sido criadas na sua grande parte para fazer frente às consequências socioeconómicas da pandemia por covid-19. Exemplo disso é o Fundo de Emergência, com dotação de 200 000 euros que visa responder à aquisição de bens e serviços, despesas directas na prevenção e combate ao contágio e à doença, apoio a entidades do concelho, que tenham custos directos na resposta à pandemia e no aumento das necessidades de assistência social bem como na aquisição de equipamentos de protecção contra o vírus, destinados aos trabalhadores das IPSS.O pacote de medidas contemplou também o apoio às famílias, flexibilizando prazos de pagamento de água, saneamento e recolha de resíduos. Foi ainda criado um apoio suplementar às famílias cujo rendimento seja afectado durante este período e reforçar a dotação do orçamento camarário para esta área, em 50 000 euros.Ao nível da saúde, foram assinados protocolos com juntas de freguesia para promover cuidados de saúde junto das populações. No apoio às IPSS, diversas medidas estabeleceram gratuitidade dos custos com água e saneamento e, em caso de surto de covid-19. Para as empresas e actividade económica foram tomadas medidas de isenções, entre outras de água, saneamento e recolha de resíduos, de prorrogação de prazos de pagamentos de custos fixos e licenças.