Pinhel


O Município de Pinhel decidiu desligar a iluminação decorativa para diminuir o valor da factura mensal de electricidade. Desde o dia 12 de Outubro que a autarquia presidida por Rui Ventura avançou com esta medida para fazer face ao aumento das despesas associadas à iluminação pública, consequência da escalada do preço da energia eléctrica.
Desde o dia 12 de Outubro que a autarquia está a desligar as luzes decorativas da cidade, considerada iluminação pública não essencial, como por exemplo as luzes que iluminam as fachadas de edifícios públicos (Câmara Municipal), de monumentos (Torres do Castelo), entre outros (Fonte Cibernética).
“Os tempos estão muito difíceis e temos de fazer opções”, explica o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, justificando esta medida que, no seu entender, não coloca em causa a segurança das pessoas e da cidade.
O autarca adianta que “para já, vamos pôr em prática esta medida e vamos ver o impacto que vai ter na conta da luz”. E acrescenta: “Se não for suficiente, teremos de pensar em outras medidas, mas para já, vamos avançar com esta. Tal como nas nossas casas temos de gerir o orçamento familiar e adaptar-nos aos tempos que vivemos, também nas instituições públicas é preciso fazer essa gestão, com mais rigor ainda”.