Pinhel


A Câmara Municipal de Pinhel transformou o edifício do antigo Paço Episcopal em Casa da Cultura para acolher o Museu José Manuel Soares, que foi inaugurado pelo Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, em 25 de Agosto de 2014, no dia do Feriado Municipal de Pinhel. O museu ocupa o primeiro piso do edifício e acolhe uma parte significativa da obra do pintor que é natural do concelho de Odemira. Nas primeiras salas, o espaço museológico dá a conhecer a Vida e a Obra do mestre, com informações acerca do seu percurso de vida e também das exposições em que participou, informações acompanhadas de objectos pessoais e até de alguns trabalhos que ficaram por concluir. A obra do mestre Soares surge, aos olhos do visitante, dividida em três partes distintas: primeiro, a Ilustração, depois a História de Portugal e, finalmente, as Paisagens e os Monumentos.
O presidente da autarquia de Pinhel, Rui Ventura, disse ao Jornal A Guarda que o balanço dos primeiros meses do Museu José Manuel Soares “só pode ser positivo”. “O Museu tem tido uma aceitação muito boa e encontra-se agora a contactar com um novo público, as escolas e os seus alunos”, disse. Segundo o autarca, trata-se de um equipamento “absolutamente extraordinário, que nos transporta para outros mundos e onde o talento do Mestre marca todos os que visitam o Museu. Mas para além da importância das obras que acolhe, que tem de ser enaltecida, o espaço que acolhe o Museu, a Casa da Cultura de Pinhel, é uma intervenção arquitectónica fantástica, que concilia de uma forma muito interessante a utilização de materiais modernos com o clássico e monumental do Edifício. A inteligência e sensibilidade dos arquitectos culminou numa obra amplamente elogiada e que tem sido objecto de divulgação em vários artigos publicados em revistas da especialidade”. “Na minha opinião, nenhuma outra afectação, que não a de Casa da Cultura, poderia ser tão acertada para este edifício que já cumpriu funções tão nobres nesta cidade: foi Paço Episcopal, acolheu gerações de jovens que aí fizeram os seus estudos secundários. Neste momento, este imóvel de referência, renovado e modernizado, com total respeito pelo seu passado e pela sua história, acolhe, de uma forma muito singular, a História de Portugal contada pelo pincel do Mestre José Manuel Soares, que nos transporta para memórias da nossa infância, já que muitos daqueles quadros ilustravam os livros da Escola Primária”, disse.
“Este Museu e a casa que o acolhe, a Casa da Cultura de Pinhel, permite exemplificar na perfeição aquilo que eu, enquanto autarca, mas acima de tudo enquanto Pinhelense, pretendo para o meu concelho. Dotá-lo de equipamentos modernos, que permitam à população ter acesso à cultura, respeitando sempre a nossa História e aquilo que nos diferencia dos outros, a nossa identidade”, acrescentou Rui Ventura. Ainda de acordo com o autarca de Pinhel, “o projecto da Casa da Cultura é um projecto em progressão” e, neste momento, “encontra-se a ser preparada a segunda fase que vai acolher um Centro Multimédia”.