Pinhel


A Direcção-Geral do Património Cultural procedeu à abertura de novo procedimento de classificação do antigo edifício do Paço Episcopal de Pinhel, datado do século XVIII, situado na Parada Coronel Lima da Veiga, naquela cidade, por despacho de 20 de Outubro de 2014 do Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.
O imóvel que está em vias de classificação e os bens imóveis localizados na zona geral de protecção (50 metros contados a partir dos seus limites externos) ficam abrangidos pelas disposições legais em vigor, segundo o Anúncio n.º 299/2014, que foi publicado no Diário da República n.º 249/2014, do dia 26 de Dezembro de 2014.
A publicação refere que os elementos relevantes do processo estão disponíveis nas páginas electrónicas da Direcção-Geral do Património Cultural (www.patrimo-niocultural.pt); da Direcção Regional de Cultura do Centro (www.culturacentro.pt); e da Câmara Municipal de Pinhel (www.cm -pinhel.pt).
Os interessados poderão reclamar ou interpor recurso hierárquico do acto que decide a abertura do procedimento de classificação do pedido, nos termos e condições estabelecidas no Código do Procedimento Administrativo, sem prejuízo da possibilidade de impugnação contenciosa.
Refira-se que o edifício do antigo Paço Episcopal de Pinhel acolhe actualmente a Casa da Cultura. A Câmara Municipal de Pinhel transformou o edifício em Casa da Cultura para acolher o Museu José Manuel Soares, o Museu Municipal e a Biblioteca Municipal. O Museu José Manuel Soares, que foi inaugurado pelo Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, em 25 de Agosto de 2014, no dia do Feriado Municipal de Pinhel, ocupa o primeiro piso do edifício e acolhe uma parte significativa da obra do pintor que é natural do concelho de Odemira. Nas primeiras salas, o espaço museológico dá a conhecer a Vida e a Obra do mestre, com informações acerca do seu percurso de vida e também das exposições em que participou, informações acompanhadas de objectos pessoais e até de alguns trabalhos que ficaram por concluir. A obra do mestre Soares surge, aos olhos do visitante, dividida em três partes distintas: primeiro, a Ilustração, depois a História de Portugal e, finalmente, as Paisagens e os Monumentos.
O edifício do antigo Paço Episcopal de Pinhel foi edificado em 1783. Depois da extinção do bispado de Pinhel, em 1882, o imóvel foi comprado pela Câmara Municipal de Pinhel e foi utilizado para diversos fins. Em 1888 acolheu o Regimento de Infantaria 34 e em 1938 parte do espaço foi ocupado pela Biblioteca Pública. Na década de 40 do século XX, passou a albergar o quartel da GNR e o posto da PSP. Em 1990 começou a funcionar como Residência de Estudantes.