Pinhel

Este domingo, dia 21 de Junho, perfazem 250 anos da criação da diocese de Pinhel.“Como as circunstâncias não permitem a programação que se vinha a preparar há algum tempo, queremos, ao menos, assinalar a ocasião, com a celebração eucarística, ao ar livre, junto a um espaço emblemático, o antigo paço episcopal”, explicou ao Jornal A GUARDA, o padre Jorge Castela, pároco de Pinhel. A Eucaristia será celebrada no Largo dos Combatentes, pelas 18.30 horas, sendo garantidas todas as normas de segurança, higiene e distância. A eucaristia será presidida pelo bispo da Diocese da Guarda, diocese que acolheu, em 1882, o território da extinta diocese de Pinhel.Está também prevista a apresentação de um livro de bolso para conhecer a história por detrás da diocese de Pinhel que teve, entre 1770 e 1882 seis bispos residentes, e entre 1969 e 2020 seis bispos titulares, encontrando-se, de momento, com sede vacante. O padre Jorge Castela adiantou ao Jornal A GUARDA que o livro de bolso, sobre a antiga Diocese de Pinhel, está dividido em quatro capítulos: “O primeiro sobre a Diocese e a cidade de Pinhel; o segundo sobre o contexto histórico do país na altura da Diocese de Pinhel; o terceiro sobre os bispos da Diocese de Pinhel; e o último sobre a extinção e o que resta actualmente da Diocese de Pinhel”. Esta diocese histórica, com sede em Pinhel, viria a ser usada mais tarde, a partir de 1969, como Sé titular, isto é, como circunscrição eclesiástica histórica, existindo apenas como título. Um dos seus bispos titulares foi o actual Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, entre 1999 e 2007. O padre Jorge Castela explicou que “se não fossem as circunstâncias actuais causadas pela pandemia, estava previsto que D. Manuel Clemente viesse presidir às cerimónias do aniversário”. Considera que é importante celebrar os 250 anos da criação da Diocese de Pinhel de maneira a não esquecer os aspectos históricos, culturais, tradicionais e de fé” que marcaram a região de Pinhel nessa altura. Pinhel foi sede de Diocese territorial de 1770 a 1882, tendo sido elevada, para o efeito, à categoria de cidade a 25 de Agosto de 1770. Foi criada pelo Papa Clemente XIV, depois do pedido efectuado pelo Rei D. José em carta de 4 de Março de 1770. O pedido foi deferido pelo mesmo Papa, que decretou em 21 de Junho desse ano a sua criação, embora só a 10 de Julho, o bispado tenha sido erigido.