Autárquicas 2021

A eleição dos Órgãos das Autarquias Locais está marcada para o dia 26 de Setembro. A legitimidade das decisões das autarquias locais decorre da eleição dos respectivos órgãos, que estão constitucionalmente consagrados como Órgãos executivos (a câmara municipal e a junta de freguesia) e Órgãos deliberativos (a assembleia municipal e a assembleia de freguesia).Os órgãos das autarquias locais são eleitos por sufrágio universal directo, exceptuando a junta de freguesia, cujo presidente é o cidadão que encabeça a lista mais votada na eleição para a assembleia de freguesia. Os restantes membros do executivo são eleitos na primeira reunião da assembleia de freguesia, sob proposta do presidente.O mandato dos titulares de órgãos das autarquias locais é de 4 anos, tendo sido legalmente estabelecida, desde 2005, uma limitação de 3 mandatos consecutivos para os presidentes dos órgãos executivos (presidentes das Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia).No dia 26, o Distrito da Guarda, que integra os concelhos de Aguiar da Beira, Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso, Vila Nova de Foz Côa, também escolhe os seus representantes.Na capital de distrito são sete os candidatos à presidência da Câmara da Guarda. Na corrida estão Carlos Chaves Monteiro (PSD), Luís Couto (PS), Sérgio Costa (Pela Guarda - Movimento Independente), Pedro Narciso (CDS/PP), Honorato Robalo (CDU), Jorge Mendes (Bloco de Esquerda) e Francisco Dias (Chega).