Segurança


A Guarda Nacional Republicana (GNR) realiza, ao longo do mês de Outubro, mais uma edição da operação “Censos Sénior”. A iniciativa acontece no âmbito do Policiamento Comunitário e pretende identificar a população idosa, que vive sozinha e/ou isolada, com o objectivo de actualizar os registos das edições anteriores e identificar novas situações.
Os militares da GNR irão realizar um conjunto de acções de sensibilização, junto das pessoas idosas em situação vulnerável, através de contactos pessoais e de actividades em sala, para que este público-alvo adopte comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, nomeadamente, em situações de violência, de burla, furto em residência e ainda prevenir comportamentos de risco associados ao consumo de álcool.
A divulgação dos programas “Apoio 65 – Idosos em Segurança” e “Residência Segura”, que permitem recolher os elementos necessários para a elaboração de um mapa, com a localização georreferenciada de todas as residências aderentes ao projecto. Esta identificação geográfica torna assim mais eficazes as acções de patrulhamento e a vigilância dos militares da GNR, traduzindo-se numa resposta policial mais célere.
Na edição de 2018 da operação “Censos Sénior”, a Guarda sinalizou 45 563 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar a sua segurança em causa. As situações de maior vulnerabilidade foram reportadas às entidades competentes, sobretudo de apoio social, no sentido de fazer o seu acompanhamento futuro.
Desde 2011, ano em que foi realizada a primeira edição da Operação “Censos Sénior”, a Guarda tem vindo a actualizar a base de dados geográfica, então criada, proporcionando assim um melhor apoio à nossa população idosa, o que certamente contribui, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e os militares da GNR e, por outro, para o aumento do seu sentimento de segurança.