Mêda


Decorreu no dia 3 de Outubro, no auditório da Casa Municipal da Cultura de Mêda, o colóquio “Herança Judaica, património a preservar e a valorizar”, promovido pela Câmara Municipal local. Na sessão de abertura, Anselmo Sousa, presidente da Câmara Municipal de Mêda, justificou a pertinência da realização do evento por se enquadrar na política cultural do Município e na preocupação de debater temas nas mais variadas áreas do conhecimento, salientando o grande contributo dos judeus para a história universal, nos mais variados domínios: na ciência náutica, gastronomia, medicina, em termos militares, na economia, etc. O edil referiu-se ainda à singularidade e riqueza dos arquivos da Inquisição, à adesão recente do concelho de Mêda à Rede de Judiarias de Portugal e o facto de a região ser rica em vestígios judaicos que importa investigar, valorizar e promover.
Os diferentes oradores transmitiram conclusões relacionadas com a realização de trabalhos de investigação e de levantamento de marcas da presença judaica; análises de lápides, inscrições e de processos da Inquisição, tendo por arguidos naturais ou residentes de judiarias como Trancoso e Marialva; fizeram sentir ainda a necessidade de aproveitamento do património relacionado com a herança judaica, mediante a sua integração em Rotas Turísticas; e confrontaram o público presente com designações e significados de termos, vocábulos, orações judaicas e outras tradições que ainda hoje subsistem.
No auditório da Biblioteca Municipal de Mêda foi ainda inaugurada a exposição “Magen David” (a estrela de David), vista por artistas de Israel. Tendo como base temática a Estrela de David, um dos símbolos mais comoventes e emocionantes da história da humanidade, um grupo de artistas que tem exposto em galerias e museus de todo o mundo, mostra nesta exposição o seu trabalho, a sua perspectiva única e inspiradora, que exulta a criatividade e também a Paz.