Manteigas

A concelhia do Partido Socialista de Manteigas retirou a confiança politica à Vice-presidente da Câmara Municipal de Manteigas, que também terá de enfrentar a justiça por calúnias contra o presidente Esmeraldo Carvalhinho. Entretanto, Célia Morais foi anunciada, como candidata do partido “Nós, Cidadãos”, nas próximas eleições autárquicas, em Manteigas. Célia Morais, Vice presidente da Câmara Municipal de Manteigas, perdeu a confiança política da concelhia do PS de Manteigas. Esta decisão unanime “tem por base as sistemáticas faltas de lealdade política para com o Presidente da Câmara, com o Partido Socialista de Manteigas e o seu projecto de desenvolvimento económico e social; com manifestas atitudes isoladas de protagonismo perante o programa eleitoral e os planos de actividade e orçamentos aprovados pela Assembleia Municipal; o sistemático desvio das linhas programáticas colectivas como orientação para a programação e gestão dos vários pelouros delegados, revelando uma clara falta de planeamento e coordenação e gestão dos sectores adstritos”.A concelhia do PS Manteigas adianta que “é com mágoa que constatamos a falta e lealdade da Vereadora Célia Morais para com o Presidente da Câmara Municipal e para com o Partido Socialista, mas acima de tudo para com os Manteiguenses que consideramos gente séria e honrada”. Os socialistas acusam a Vice-Presidente de ter mentido aos membros da Assembleia Municipal, ao executivo camarário, aos trabalhadores do município e ao público presente” ao afirmar que fornecimentos de mobiliário urbano e outros, tinham sido executados e instalados pelos trabalhadores da Câmara Municipal, quando na verdade, tal mobiliário foi executado e colocado por uma empresa privada por ordem dela própria, ainda vice-presidente da Câmara, sem cumprimento dos preceitos legais de prévia contratação pública.Célia Morais é ainda acusada do clima de permanente conflito que tem mantido com sectores internos da câmara, com instituições e associações do concelho.Sobre este assunto, a concelhia do PSD de Manteigas acusa o presidente da autarquia, Esmeraldo Carvalhinho, de querer “sacudir a água do capote”. Consideram que “este é o pior mandato em termos de despesa de investimento, pelo menos desde 1993, por falta de gestão, execução e visão estratégica”. E acrescenta: “O concelho precisa de trabalho e dedicação, não de guerrilhas partidárias internas, numa luta apenas de interesses próprios”. 
Candidata independente à Câmara Municipal 
Célia Morais, até agora Vice-Presidente da Câmara Municipal de Manteigas, eleita nas listas do PS, vai concorrer às próximas eleições autárquicas pelo “Nós, Cidadãos”. “Após em reunião camarária terem sido expostas más práticas na gestão financeira por parte do actual presidente da Câmara Municipal de Manteigas e retirada da confiança política pelo Partido Socialista à Drª Célia Morais, actual vice-presidente, e imediata desfiliação pela visada, é anunciada a sua candidatura enquanto independente pelo partido “Nós, Cidadãos!” nas  próximas Eleições Autárquicas”, refere o partido “Nós, Cidadãos!”, em comunicado.  E acrescenta: “Para além dos indícios de graves ocorrências de má gestão financeira, o actual presidente é acusado dos crimes de assédio moral com a decisão ilegal de retirar pelouros e vedar o acesso aos dossiers camarários e informação interna da câmara à vice-presidente, enquanto ainda em funções”.A apresentação pública da candidatura será anunciada tendo em conta o calendário permitido e as directrizes da DGS.
Esmeraldo Carvalhinho avança para Tribunal
Esmeraldo Carvalhinho, Presidente da Câmara Municipal de Manteigas, mostrou estranheza e perplexidade perante as acusações da Vice-presidente Célia Morais e remete o assunto para o Tribunal. “Perante este tipo de calúnias, a minha resposta só pode ser através dos meios judiciais, que já estou a accionar”, disse o autarca, ao Jornal A GUARDA. E acrescentou: “São acusações torpes que me ofendem na minha honra”. Esmeraldo Carvalhinho lembrou o seu percurso político de quase trinta anos de vida autárquica e estranha a postura de Célia Morais. “As pessoas conhecem-me e sabem que fui sempre cumpridor da legalidade autárquica e dos mais elementares princípios de respeito pelos outros”, adiantou ao Jornal A GUARDA.De acordo com Esmeraldo Carvalhinho “a senhora vereadora é useira e vezeira em levantar suspeitas sobre personalidades, inclusive do restante executivo da Câmara Municipal”. E acrescenta: “Quanto à má gestão financeira, de que nos acusa, basta ler as actas para perceber a perfídia da vereadora nas afirmações que faz”.“No momento certo, a população de Manteigas dar-lhe-á a resposta que merece”, conclui Esmeraldo Carvalhinho.