Manteigas


“Manteigas tem no seio do Geopark Estrela o maior número e os mais importantes geossítios da Serra da Estrela. É aqui que se concentra o maior potencial dessa candidatura”, disse o presidente da Câmara Municipal de Manteigas, Esmeraldo Carvalhinho, a propósito da candidatura do Geopark Estrela junto da UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Questionado na sexta-feira, dia 26 de Janeiro, pelos jornalistas, durante a conferência de imprensa de apresentação da ExpoEstrela 2018, sobre se o seu concelho deverá acolher a futura sede do Geopark, o autarca referiu que essa questão não se coloca neste momento, uma vez que a candidatura está a decorrer, mas “é uma questão que se há-de discutir a seu tempo”. Lembrou que ficou acordado que enquanto a candidatura decorrer o assunto da sede não será discutido, no entanto, reconhece que o seu concelho é o que “tem mais geossítios de maior importância” e é também “o mais central do território do Geopark”. Lembrou ainda que Manteigas possui o Vale Glaciar do Zêzere que foi candidatado às 7 Maravilhas de Portugal. O autarca admitiu que quando a questão da sede se colocar, haverá uma disputa e espera que “haja bom-senso, para haver uma decisão justa nesta questão”.
Recorde-se que a Associação Geopark Estrela entregou no ano passado a candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO. A decisão formal da UNESCO sobre a classificação do Geopark Estrela deverá ser conhecida “entre Setembro de 2018 ou a Primavera de 2019”, segundo Emanuel de Castro, Coordenador Executivo da Associação. O território que é candidato a Geopark Estrela tem 2.216 quilómetros quadrados de área e 170 mil habitantes. A criação do Geopark Estrela resulta de uma parceria do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) com a UBI - Universidade da Beira Interior e com os Municípios de Gouveia, Manteigas, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Guarda, Seia, Oliveira do Hospital, Covilhã e Belmonte, nos distritos da Guarda, de Castelo Branco e de Coimbra. Os trabalhos da candidatura começaram em 2014. Em 2015, foi assinado o memorando de entendimento com os Municípios e, no ano seguinte, foi criada a Associação Geopark Estrela, que tem sede na Guarda, nas instalações do IPG.