Com sede em Manteigas


A Associação Cultural Amigos da Serra da Estrela (ASE) é uma associação cívica, sem fins lucrativos, que tem sede em Manteigas, onde foi fundada em 22 de Janeiro de 1982.
A ASE, presidida por José Maria Saraiva, é a segunda organização não-governamental (ONGA) mais antiga do país.
A ASE surgiu depois de um grupo de amigos ter tomado a iniciativa de celebrar o 1.º Centenário da 1.ª Expedição Científica à Serra da Estrela, organizada pela Sociedade de Geografia de Lisboa, em 1881, percorrendo o mesmo trajecto. Foi da leitura dos relatórios da expedição e do estado de degradação a que a Serra da Estrela estava a ser sujeita, que acharam que era necessário fazer algo mais em defesa da serra. “A razão pela qual se partiu para uma associação de índole cultural foi por se ter concluído, nas muitas discussões que o tema exigiu, que nas origens dos problemas estaria uma ausência da cultura de valores ambientais, naturais, patrimoniais, sociais, enfim, da Serra da Estrela como elemento fundamental a proteger para, em beneficio do meio natural, da população actual e, fundamentalmente, como legado às futuras gerações”, segundo a direcção da ASE.
Trinta e três anos após a fundação da ASE, a direcção reconhece que a Serra da Estrela “continua tão frágil e à mercê de verdadeiros atentados” como no dia da sua criação. “Daí que os amigos são o melhor garante para a sua defesa e quantos mais formos maior protecção e mais força teremos para impedir que os atentados continuem”, é assinalado.
Durante a sua existência, a ASE tem realizado vários eventos, com destaque para um filme sobre a reconstituição histórica da 1.ª Expedição Científica, a edição da revista Zimbro, concursos de Fotografia, a organização do maior evento de montanha do país - NEVESTRELA (organizado durante 25 anos com o Clube de Montanhismo da Guarda, tendo o ASESTRELA prosseguido os seus desígnios até hoje) e a promoção da Serra através de visitas guiadas e acampamentos de Verão alternados: montanha e meio urbano com manifestações culturais. A Associação também foi responsável pela criação da 1.ª equipa de busca e salvamento de montanha do país e pela construção e arranjo de mais de 150 quilómetros de trilhos, através do programa: “Trilhos do Passado Numa Perspectiva com Futuro” e pela criação de um Galardão para distinguir empresas e individualidades que promovam a Serra de forma sustentável.
A ASE já realizou campanhas de limpeza do Planalto Superior e lançou a campanha “1 milhão de Carvalhos para a Serra da Estrela”, que teve grande adesão dos portugueses e motivou todas as regiões do país na sementeira e na plantação em regime de voluntariado. Foi ainda responsável, entre outros projectos, pela implementação da Grande Rota do Zêzere (que irá ligar a nascente à Foz do rio Zêzere e que está em fase terminal de execução pelas autarquias que integram a bacia hidrográfica deste rio). “Presentemente, a grande preocupação da ASE tem a ver com a instalação de parques eólicos na Serra da Estrela, situação que está a pôr em questão toda a paisagem serrana e a subscrição da Carta Europeia Sobre a Paisagem pelo Estado Português”, segundo a direcção.