Ecovias do Concelho da Guarda

“A Guarda tem de se afirmar como a Capital das Ecovias” defendeu o vereador Sérgio Costa, na última reunião da Câmara Municipal da Guarda, que decorreu no dia 22 de Setembro. O agora vereador sem pelouros considera que “a Guarda tem condições únicas para a criação de centenas de quilómetros de Ecovias” e, por isso, a partir de vários pontos de confluência localizados estrategicamente, é preciso “criar uma malha por todo o Concelho, com todos os percursos interligados e deixando a abertura para a ligação às grandes rotas já existentes e futuras, como a Grande Rota do Zêzere e a Grande Rota do Côa”.Sérgio Costa considera que “com a criação de Ecovias, criam-se condições para a revitalização das margens dos rios e ribeiras, a reconstrução de açudes, pontes e pontões tradicionais, fomenta-se a reabilitação de muitos moinhos de água antigos”. Adianta que é necessário implementar uma estratégia integrada de médio e longo prazo, envolvendo agentes privados e entidades públicas”.Sugere a criação de Ecovias ao longo das diversas linhas de água, dando como exemplo a do Rio Diz, a do Rio Mondego, aproveitando já o excelente percurso dos Passadiços do Mondego e ligando o Alto Mondego ao Baixo Mondego, Ribeira de Massueime, Ribeira das Cabras, Ribeiras da Teixeira, da Gaia e de Famalicão, Ribeiras do Freixial e do Adão, Ribeira dos Montes e do Toito, entre muitas outras. “Com a existência dos múltiplos percursos pedestres já sinalizados e a sinalizar, bem como os percursos de BTT que devem seguir o mesmo exemplo, com dificuldades variadas, podemos criar um novo cluster turístico na Guarda”, conclui Sérgio Costa.Recordou que a Ecovia do Noéme permitiu a recuperação e a criação de caminhos ao longo das suas margens, novos acessos para os proprietários dos terrenos, tal como a ligação às Aldeias ao longo do seu percurso, também muito importante sob o ponto de vista turístico, cultural e económico, como é o caso de Vale de Estrela, Aldeia do Bispo, Barracão, Quintazinha do Mouratão, Monte Barro, Carapito da Légua, Gata, Vila Garcia, Vila Mendo, Vila Fernando, Albardo, Marmeleiro, Rochoso e Monte Margarida.Sérgio Costa disse que a Ecovia do Noéme “foi considerado o melhor exemplo nacional no uso dos dinheiros públicos, para a recuperação pós-incêndio”. E acrescentou: “O bom trabalho desenvolvido pelo Município da Guarda com esta intervenção deu também o mote e terá mesmo inspirado parte daquilo que será em breve apresentado pelo Governo Português, o Plano Estratégico Nacional de Reabilitação de Linhas de Água”.