Guarda

A cidade da Guarda vai receber no sábado, 16 de Outubro, a partir das 9.30 horas, um percurso “Abeirar – Água, Céu, Rocha”, que terá início na Torre de Menagem e será dedicado ao tema “A Rocha”.A organização adianta que o percurso termina no cemitério da cidade, “onde se irão identificar e compreender as diferentes rochas utilizadas na construção dos jazigos”.Ao longo do trajecto serão também homenageados poetas e escritores e abordada a história recente da cidade.A iniciativa, organizada pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, com a colaboração de várias entidades, incluindo a Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, é dirigida ao público em geral e será conduzida por Anabela Matias, Dulce Helena Borges e Elsa Salzedas.“Abeirar é um convite à curiosidade, à exploração e à descoberta dos recursos do território das Beiras e Serra da Estrela. É um trilhar pelo território, no cruzamento entre a literatura e a ciência. É um apelo à participação conjunta de cidadãos/ãs, artistas e cientistas, pela construção de conhecimento e pela preservação e valorização do território com o objectivo de transformar cada cidadão em embaixador e promotor de um bem comum, que é o território.O ciclo de eventos Abeirar está, desde a Primavera a percorrer os 15 concelhos da CIM-Beiras e Serra da Estrela, numa sequência de três temporadas, cada uma dedicada a um tema central para o território - Água, Céu, Rocha - e que terá o seu términus no Outono.À cidade da Guarda e à sua biblioteca foi atribuído o tema ‘A Rocha’. O projecto da BMEL vai desenrolar-se ao longo de um percurso que terá início na Torre de Menagem, onde iremos percorrer, em observação, a sua envolvente e entender que fenómenos naturais estiveram na origem da ocupação humana através dos diferentes aspectos geológicos e geomorfológicos, históricos e literários. Este Roteiro pretende introduzir, de forma simples e acessível a todos, uma primeira abordagem da Grande História da Guarda, contando acontecimentos importantes, muito antes da existência da Humanidade e até dos Dinossauros no Planeta que explicam a razão da Guarda estar onde está e ser como é. O percurso terminará no Cemitério local, onde se irão identificar e compreender as diferentes rochas utilizadas na construção dos jazigos. Serão também homenageados poetas e escritores e abordada a história recente da cidade. Durante a caminhada seremos sempre inspirados por excertos literários de autores locais, pela observação e explicação da envolvente geológica do percurso e pela interpretação histórica dos espaços a percorrer.Esta iniciativa é limitada a 20 participantes, podendo os interessados fazer a inscrição até ao dia 15 de Outubro.