Museu da Guarda


O ‘Auto de descerramento da lápide de honra aos mortos da Grande Guerra’ é a peça em destaque no mês de Outubro, no Museu da Guarda. Trata-se de uma peça constituída por papel, seda lavrada, lacre e com data de 10 de Junho de 1920.
É um documento constituído por cinco páginas sendo duas impressas e as restantes manuscritas concebido pelo alferes do Regimento de Infantaria 12, António Balha e Melo, para assinalar a sessão solene de descerramento, no quartel do 2º Grupo de Metralhadoras, de uma lápide homenageando os militares dessa corporação que tinham falecido nos combates travados durante a 1ª Guerra Mundial.
O frontispício apresenta o título do documento escrito em letra gótica a preto e vermelho. A letra capital está inscrita num rectângulo formado por elementos vegetalistas. Junto à lombada duas fitas de seda lavrada, uma vermelha e outra verde, tendo aposto lacre com sinete do 2º Grupo de Metralhadoras.
Na segunda folha desenvolve-se, em vinte e duas linhas, o texto do auto de descerramento da lápide seguido de mais de uma centena de assinaturas de personalidades da cidade da Guarda das quais se destacam nomes como José Augusto de Castro, Ladislau Patrício, Luciano Cardoso, Ezequiel Batoréu, João António Figueiredo, Ernesto Franco, Lopes Craveiro, João Pessoa e Joaquim da Costa Quintela entre muitos outros.