Guarda | Autárquicas 2021

O Tribunal da Guarda reconheceu e aprovou a candidatura independente ‘Pela Guarda’ que concorre às eleições autárquicas do dia 26 de Setembro. “Este foi o nosso primeiro passo e a nossa primeira grande vitória nesta caminhada para ganhar a Câmara Municipal da Guarda”, disse Sérgio Costa, que encabeça a lista à presidência da Câmara da Guarda, esta segunda-feira, 23 de Agosto, em conferência de imprensa. Sobre este processo disse ter sido “uma caminhada difícil e complexa, em termos legais, mas que foi superada com distinção”. E acrescentou: “Foi um trabalho de Equipa, que é o reflexo do que os Guardenses são capazes quando se motivam e organizam, sob a nobre causa da bandeira do desenvolvimento da Guarda”. As listas deste movimento independente contaram com a assinatura e o apoio de 2200 Guardenses. O processo de constituição das listas envolve 360 cidadãos.“Pela primeira vez desde o 25 de Abril, os Guardenses terão a possibilidade de votar num Movimento, que nasceu unicamente da força de vontade dos Guardenses e a sua férrea determinação, em trabalhar pelo Desenvolvimento da Guarda”, disse Sérgio Costa. Destacou a postura e prática democrática na elaboração das listas autárquicas ao mesmo tempo que denunciou a perseguição a que alguns dos apoiantes do Movimento foram sujeitos. Sérgio Costa, que falava na sede de candidatura, disse que outros candidatos “tentaram comprar a lealdade de alguns com promessas de emprego, promoções internas e até ameaças a empresários”. Adiantou que o Movimento Independente Pela Guarda “é formado por gente livre, sem quaisquer amarras, cujo único interesse é lutar pelas suas gentes e pelo desenvolvimento do seu território”.Para Sérgio Costa “as eleições autárquicas são as verdadeiras eleições de proximidade, os eleitores escolhem fundamentalmente as pessoas que consideram com maior competência para gerir a sua Junta de Freguesia e a sua Câmara Municipal”. Sobre a campanha do Movimento Independente Pela Guarda, que alguns apelidam de “milionária”, o candidato a presidente de Câmara adiantou que “é uma campanha que sabe fazer muito e bem, com recursos escassos”.