Guarda

Um homem de 54 anos, que se fazia passar por elemento da GNR para estabelecer relação emocional e de confiança com mulheres vulneráveis e assim conseguir furtos em residências, foi constituído arguido.O homem foi detido, esta segunda-feira, 26 de Julho, por militares da PSP da Esquadra de Investigação Criminal (EIC) do Comando Distrital da PSP da Guarda, em colaboração com militares do Comando Territorial da GNR local, no âmbito de um inquérito por furtos em residência.A PSP explica que o ‘modus operandi’ do arguido “consistia em fazer-se passar por elemento das forças de segurança – GNR e aproximar-se emocionalmente de mulheres vulneráveis com mais de 65 anos”. Adianta que o suspeito “passava a residir com as mesmas e furtava objectos em ouro e dinheiro do interior das residências onde residia e em residências de familiares próximos das vítimas”.Após a realização de uma busca domiciliária, os agentes policiais constituíram o homem como arguido e apreenderam um colete reflector com a inscrição “GNR”, um bivaque da GNR, um coldre de pistola, uma carteira preta (própria de elementos da GNR) contendo um crachá da mesma força de segurança e três cartões da “Associação dos Profissionais da Guarda”.Foi ainda apreendido um par de algemas metálicas, uma chave de algemas, uma navalha e um carregador de pistola de calibre 7.65 milímetros.