Guarda

Um estudo pelo Instituto Politécnico da Guarda indica que a maioria da população da Guarda, com mais de 65 anos, é obesa ou está em risco de desenvolver essa condição. A investigação sobre a qualidade de vida e a actividade física da população idosa do concelho revelou que 21% dos idosos da Guarda sofrem de obesidade e 46% de pré-obesidade: o que corresponde a 67% da população sénior. O frio rigoroso e o medo das lesões foram identificados como os principais entraves à prática de actividade física.“Depois de sabermos que oito em cada dez idosos em Portugal estavam com sobrepeso, segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Actividade Física, quisemos conhecer profundamente a realidade do concelho da Guarda”, afirma Carolina Vila-Chã, coordenadora do estudo e docente do curso de Desporto, Condição Física e Saúde no IPG. Foram avaliados 213 indivíduos residentes na Guarda (56% do sexo feminino e 44% do sexo masculino) com idade igual ou superior a 65 anos em três grandes áreas: qualidade de vida e estado de saúde; aptidão física e funcionalidade; e níveis, barreiras e promotores da prática regular da actividade física.