Guarda

“Qualquer pessoa que ande nesta cidade dá conta de que está suja” disse a vereadora do PS, na última reunião da Câmara Municipal da Guarda, que decorreu na sala da Assembleia Municipal, no dia 23 de Julho. Cristina Correia lamentou a “falta de limpeza da cidade” que contrasta com a campanha promovida pela autarquia em que convida as pessoas para visitar a Guarda. “Era bom que pudéssemos oferecer as melhores condições a quem nos visita”, referiu. Cristina Correia deu ainda conta do lixo acumulado nas entradas da cidade que fica a descoberto com o corte da erva seca, nomeadamente garrafas, sacos de plástico, latas e mesmo máscaras descartáveis. Considera que “este género de lixo deve ser recolhido por funcionários da Câmara”. Neste ponto lamentou “a falta de civismo de muitas pessoas”. Recordou que antes a Guarda tinha “jardins bonitos e floridos” e que, actualmente, não tem havido esse cuidado. E acrescentou. “Há um contracto com uma empresa, há dinheiro gasto”, por isso “há que acautelar o dinheiro público”. Sobre este assunto, o presidente da Câmara concordou com a vereadora socialista, lembrando que é um serviço “adjudicado” e que, neste momento está “em transição de uma empresa para outra”. Num processo que Carlos Chaves Monteiro classificou de “complicado” disse que a autarquia está empenhada para que “possa haver uma limpeza mais eficaz na nossa cidade”.