Guarda

A Câmara Municipal da Guarda vai ampliar a Plataforma Logística de Iniciativa Empresarial (PLIE) em mais 41 lotes de terreno. O anúncio desta medida foi avançado pelo presidente da Câmara Municipal, no final da reunião do executivo desta segunda-feira, 10 de Fevereiro. Carlos Chaves Monteiro referiu que “actualmente estão apenas disponíveis cinco lotes de terreno para acolhimento de novas empresas”. E explicou: “Nós temos à volta de cinco lotes disponíveis para poder instalar novas empresas na Plataforma Logística. Os outros lotes ou estão construídos, têm escritura pública de compra e venda ou contrato promessa”. Numa altura em que “mais de metade da Plataforma Logística tem projectos empresariais a decorrer”, Carlos Chaves Monteiro lembrou o passado recente em que “o equipamento tinha apenas duas ou três empresas”. E acrescentou: “Hoje há um grande número de empresas que ali se instalou” e por isso sente orgulho “do trabalho que foi feito”. O autarca adiantou que “hoje as pessoas conhecem as regras” e a autarquia “tem técnicos a apoiar os investidores”. Como os lotes de terreno para a instalação de novas empresas começam a faltar, a autarquia vai iniciar este ano o processo de ampliação da Plataforma Logística de maneira a disponibilizar mais 41 lotes. Carlos Chaves Monteiro deixou a garantia de que o espaço está disponível, “está licenciado”, sendo necessária a construção de infra-estruturas rodoviárias, passeios, de electricidade e telecomunicações.Como o investimento terá “um custo elevado” o município vai recorrer a uma via de financiamento comunitário pois “há programas que apoiam este tipo de infra-estruturas”. Na reunião de Câmara desta segunda-feira, os vereadores do PS, Cristina Correia e Manuel Simões, congratularam-se “pelo facto de o Governo ter lançado, na semana passada, o Programa Trabalhar no Interior”. Cristina Correia considerou necessário que “a Câmara Municipal da Guarda consiga acompanhar estas importantes decisões do Governo, apresentando Programas e Medidas que possam majorar, ainda a mais, os impactos positivos destas políticas recentemente anunciadas, nomeadamente, através da definição de uma verdadeira estratégia para a captação do investimento e para a criação de postos de trabalho no concelho”. Desafiou o Presidente da autarquia a dizer “aos guardenses oque têm feito” e a apresentar “resultados concretos” da actuação no tocante ao investimento e ao empreendedorismo. E questionou: “Por exemplo, quantos postos de trabalho foram criados no concelho, desde que o senhor é Presidente?”.Carlos Chaves Monteiro explicou que desde 2015 foram criados “600 postos de trabalho” e investidos “à volta de 100 milhões de euros”.