Guarda


A Câmara da Guarda aprovou, por maioria, a proposta de isenção ou redução de taxas e outras receitas para algumas entidades do concelho, nomeadamente as Instituições Particulares de solidariedade social
“Sabemos que as taxas de licenciamento são muito elevadas e as IPSS não têm forma de fazer face a esses custos”, explicou o presidente da autarquia. Sérgio Costa adiantou que o objectivo da medida é tratar todas as instituições com equidade, legalidade e transparência”. E acrescentou: “Vamos isentar as IPSS das taxas que teriam de pagar para fazer aprovar os seus projectos na Câmara Municipal da Guarda”.
Os vereadores do PSD votaram contra esta proposta, por considerarem que é ilegal.