O Prémio Literário Vergílio Ferreira 2016, instituído pela Câmara Municipal de Gouveia, foi atribuído à obra “Dor de Ser Quase, Dor Sem Fim”, da autoria de Iolanda Martins Antunes.

O anúncio foi feito no dia 1 de Março, pelo vice-presidente da autarquia de Gouveia, Joaquim Lourenço de Sousa, numa cerimónia pública realizada na Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira. A decisão foi aprovada por unanimidade, por um júri constituído por José Correia Tavares, da Associação Portuguesa de Escritores, Cristina Robalo Cordeiro, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários, e Alípio de Melo, representante da autarquia.

A autora da obra premiada, natural de Sintra, licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, tendo enveredado pela carreira docente em 1995. Actualmente é professora de Filosofia no agrupamento de escolas Dr.ª Laura Ayres em Quarteira, onde exerce o cargo de coordenadora do jornal escolar. “Dor de Ser Quase, Dor sem Fim” é o seu primeiro romance.

Ao Prémio Literário Vergílio Ferreira 2016 foram candidatadas 78 obras e verificou-se a exclusão de quatro, por não obedecerem ao regulamento, adianta a autarquia de Gouveia. Acrescenta que o galardão tem um valor pecuniário de 5.000 euros e a obra vencedora será editada pelo Município de Gouveia. O premio será entregue à autora laureada numa cerimónia pública, a realizar em Agosto, na abertura das festas da cidade de Gouveia, de acordo com o regulamento.

O Prémio Vergílio Ferreira distingue bienalmente, de forma alternada, um romance e um ensaio literário, tendo este ano distinguido um original versando a categoria de Romance. Foi instituído em 1997 pela Câmara Municipal de Gouveia, com o objectivo de homenagear o escritor Vergílio Ferreira, natural de Melo, naquele concelho, e de “incentivar a produção literária”, contribuindo “para a defesa e enriquecimento da Língua Portuguesa”.

Na mesma cerimónia foi ainda apresentada a Medalha Comemorativa do Centenário de Nascimento de Vergílio Ferreira. A peça foi concebida pelo artista Fernando Fonseca, também autor do busto de Vergílio Ferreira que se encontra em frente à Biblioteca Municipal de Gouveia.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Gouveia está a promover este ano um conjunto de iniciativas com o intuito de homenagear o escritor natural do concelho, que completaria 100 anos no passado dia 28 de Janeiro. Em Maio vai ter lugar um Colóquio Internacional intitulado “Escrever e Pensar ou O Apelo Invencível da Arte”. É organizado pelo Município de Gouveia em parceria com Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) e decorrerá de 18 e 19 de Maio, no Porto, e de 20 a 21 de Maio, em Gouveia.
Em Agosto, a Câmara Municipal de Gouveia apresentará o “Roteiro Vergiliano”, na aldeia de Melo. De acordo com a autarquia, o projecto permitirá aos visitantes “o contacto com os locais de referência que marcaram a relação de Vergílio Ferreira com a sua aldeia”.