Gouveia – Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta


“O Retrato em João Abel Manta – Perfis para as Selectas” é o tema da exposição que vai estar patente ao público, a partir do dia 12 de Agosto, no Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, em Gouveia.
 “O Retrato em João Abel Manta – Perfis para as Selectas” é uma exibição inédita sobre o tema “retrato” no contexto geral da obra multifacetada de João Abel Manta.  Pensada para o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, do qual este artista foi o principal doador, é apresentada como “a homenagem que faltava fazer nestes 37 anos de existência do Museu”.
Devido à exposição, o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta estará encerrado ao público, até às 17.00 horas do dia 12 de Agosto, momento em que será inaugurada a exposição de João Abel Manta que está a ser produzida e preparada em exclusivo para Gouveia.
Estarão em exposição cerca de 200 peças, entre pintura, desenho e cartazes, com a estrutura da exposição dividida em cinco áreas dispositivas: Depois da grande guerra, entre lisboa e paris: os rostos da sua geração e do seu mundo; Dinossauros excelentíssimos: Salazar, Caetano e outras figuras do poder; “Uma coisa nunca vista”: os rostos da revolução; “Diálogos confidenciais”: um imenso museu imaginário em papel de livro e jornal e “Sou um pintor tardio”: retratos da memória, do mito e do sonho.
Além de peças existentes no Museu Abel Manta, serão exibidas peças provenientes do Museu de Lisboa e do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, bem como da colecção do próprio artista, algumas das quais nunca antes expostas.
A exposição produzida e coordenada pelo Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta tem a colaboração directa de João Abel Manta e sua família, a curadoria de Pedro Piedade Marques, o design gráfico de José Brandão/B2Design e a parceria do Museu de Lisboa e Museu Nacional de Arte Contemporânea-Museu do Chiado, Lisboa.
A exposição estará patente no Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta até ao dia 16 de Outubro de 2022.
João Abel Carneiro de Moura Abrantes Manta nasceu em Lisboa a 29 de Janeiro de 1928, filho único dos artistas Abel Manta e Maria Clementina Carneiro de Moura Manta.
Formou-se em Arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa em 1951.
A partir de meados da década de 1950, começou uma intensa actividade como ilustrador de livros e colaborou com o breve projecto da revista Almanaque (1959-1961).
Em 1961, na II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, conquistou o primeiro prémio de desenho (em 1969 ganharia, também para a Gulbenkian, o concurso para a tapeçaria do Salão Nobre).
A sua consagração internacional nas artes gráficas chegou em 1965, na IBA Internationale Buchkunst-Ausstellung, a exposição internacional de artes do livro de Leipzig (RDA), ano em que foi seleccionado para a exposição Graphik aus fünf Kontinenten (Artes gráficas nos cinco continentes) e em que conquistou a medalha de prata. Voltou a ser premiado na IBA em 1977.
À sua obra gráfica foi dedicada uma grande exposição em 1992, no Museu Bordalo Pinheiro em Lisboa, e em 2009 a sua obra pictórica mais recente foi exposta no Palácio Galveias.