Gouveia


Vinte entidades, de diferentes sectores, reuniram-se em Gouveia, no dia 15 de Dezembro, para discutir o tema da conservação do lobo-ibérico. Foram abordadas as preocupações e expectativas dos participantes relativamente a um Plano de Acção Nacional para esta espécie, numa perspectiva de envolvimento de toda a sociedade e com vista a convivência sustentável com o lobo.
Numa iniciativa inédita, estiveram reunidas entidades associadas às actividades agro-pecuária, cinegética, científica, conservacionista e de gestão do território, para além do SEPNA/GNR, de Guardas e Vigilantes da Natureza e da autoridade nacional de conservação da natureza, ICNF.
“A complexidade e diversidade de interesses que envolve a temática do lobo-ibérico resulta na necessidade de procurar consensos para a concretização de um Plano de Acção, que oriente e defina a conservação da espécie em Portugal” adianta o Grupo Lobo, em comunicado.
Desta reunião resultou uma identificação dos principais temas a incluir num Plano de Acção Nacional, com vista à conservação e coexistência com o lobo-ibérico, designadamente:
Predação no gado; Fomento de presas silvestres; Mortalidade da espécie; Compatibilização das actividades humanas com a conservação do lobo-ibérico; Gestão e ordenamento do território; Monitorização e investigação; Sensibilização, envolvimento e comunicação; Financiamentos e apoios públicos; Cooperação e articulação com Espanha.
Foi também discutido o modelo de Governança e as expectativas de envolvimento dos diferentes representantes da sociedade civil na elaboração e implementação do Plano de Acção para a espécie, na expectativa de salvaguardar os interesses das actividades humanas e do lobo, parte de um só mundo rural, património de todos nós e das gerações futuras.