Segurança

A GNR está a utilizar ‘drones’ , desde o dia 19 de Março, para vigiar a fronteira entre Portugal e Espanha, na zona de Vilar Formoso, que devido ao Covid 19 está sujeita a controlo há mais de uma semana. O controlo das fronteiras terrestres com Espanha começou, no dia 16 de Março, em nove pontos de passagem autorizada, exclusivamente destinados ao transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais, sendo o SEF - Serviço de Estrangeiros e Fronteiras a entidade responsável pelo controlo nestes locais.Em Vilar Formoso, a GNR começou a usar ‘drones’, para vigiar a linha da fronteira.Com a utilização de ‘drones’, o objectivo da GNR é “conseguir um controlo mais rigoroso de uma fronteira que é porosa, pois tem 100 quilómetros - na área do distrito da Guarda, desde Barca d’Alva , no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo até à freguesia de Fóios, no concelho do Sabugal - e locais onde podem passar carros ligeiros”, segundo fonte do Comando Territorial da Guarda.Com o recurso aos ‘drones’, comandados à distância, a GNR garante uma fronteira mais segura e mais vigiada.A vigilância com drones na zona de Vilar Formoso, “numa área entre cinco a oito quilómetros em linha recta para cada lado”, está a decorrer diariamente.Na operação do controlo das fronteiras o SEF faz a averiguação dos documentos de pessoas, enquanto a GNR é responsável pela circulação rodoviária e pela vigilância da fronteira terrestre entre os postos de passagem autorizados.Recorde-se que está proibida a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, independentemente do tipo de veículo, com excepção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.